Tag: literatura

TOP 3: CONTOS DA AMAZON

Vira latas, eu já falei para vocês várias vezes como está a minha rotina de estudante de arquitetura. Mas se tem uma coisa que eu não abro mão, mesmo com a correria é ler. Às vezes é bem complicado ler um livro de centenas de páginas, mas os contos conseguem cumprir o papel de nos prender em uma boa aventura, além de ser curtinho. Hoje resolvi indicar para vocês três contos que eu li em meio ao caos da faculdade.

ENTREVISTA COM A ESCRITORA SHIRLEI RAMOS

Shirley Ramos autora - qualquer coisa vira lata
FOTO: reprodução da internet

Antes de tudo, eu gostaria de agradecer a você, Shirlei Ramos, por nos ceder parte do seu tempo para responder algumas perguntinhas. Eu admiro muito o seu trabalho, amo dar ótimas gargalhadas e até mesmo suspirar por causa dos seus livros. Estou muito animada por você compartilhar conosco um pouquinho do seu mundo literário.

separador1

  1. De onde surge tanta inspiração para escrever tantos livros?

Antes de responder a primeira pergunta, gostaria de te agradecer, Samila, pela oportunidade e pelo apoio ao meu trabalho. É uma alegria muito grande responder às suas perguntas.

Bom, sendo sincera, eu não tenho ideia de onde vem toda a minha inspiração… rsrs… Mas, desde muito pequena, minha criatividade é exacerbada. Eu fui o tipo de criança que tinha até mesmo um amigo imaginário (a Marinha). As histórias simplesmente brotam na minha cabeça constantemente. Então, eu seleciono aquelas que acredito terem um bom enredo, as organizo e as coloco no “papel”.

  1. Você já chegou a confundir as suas histórias? Também gosto de escrever e várias vezes eu acabo trocando o nome dos meus personagens com de livros passados.

Nunca cheguei a confundir histórias, pois procuro “sair” dos personagens quando termino um livro antes de iniciar outro. Limpo bem a mente e mergulho num outro mundo totalmente novo. Porém, já troquei várias vezes os nomes de personagens secundários. Lembro-me de que, enquanto postava O Par Perfeito no Wattpad, troquei umas três vezes o nome da esposa falecida do Roberto. Foi uma leitora quem me avisou e eu corrigi o erro.

  1. Qual livro foi mais difícil para você escrever? Se você tivesse que escolher uma de suas obras para fazer continuação qual seria e por quê?

O livro mais difícil foi, com certeza, Lembranças de um amor. Eu estava passando por um período muito difícil em minha vida enquanto o escrevia e, várias vezes, temi não conseguir concluí-lo. Além disso, a história me exigiu muito emocionalmente devido aos dramas que viveram a Patrícia e o Gabriel, os protagonistas.

Sobre escolher uma das minhas obras para fazer continuação, eu não gosto muito de continuações, confesso, mas, se tivesse que escolher, seria A Missão de Anabel. Eu sinto falta de saber como foi o casamento da Anabel, se ela teve filhos, essas coisas… rsrs…

  1. Quais são os seus escritores favoritos de todos os tempos?

Tenho vários! Judith McNaught, Carina Rissi, Marina Carvalho, Samanta Holtz, Nina Reis, Aline Sant’Anna, Gisele Souza, Rachel Gibson, Bella Andre, Vanessa Bosso, Lygia Fagundes Telles, Chris Melo, Sophie Kinsella, Fernanda França.

  1. Qual é a sensação de lançar um livro por uma editora? Conta um pouquinho de como foi o processo e de quando o livro será lançado.

É a melhor sensação do mundo! Por quase dois anos batalhei por uma editora, mas nunca obtive resposta positiva. Já estava perdendo a esperança. Então, surgiu a Editora Coerência. A Lilian Vaccaro, a dona, não apenas acreditou no meu trabalho, como me recebeu com muito carinho e profissionalismo. Sinto que estou numa das melhores casas editoriais do Brasil.

Eu entrei em contato com a Lilian pelo Facebook e perguntei se ela aceitava analisar O Par Perfeito. Ela me respondeu que sim e, pouquíssimo tempo depois, me retornou com uma proposta de publicação. Eu adorei a proposta e fechamos contrato. E, de lá para cá, só tenho coisas maravilhosas para falar sobre ela, a editora e os autores da Coerência. Todos muito unidos e verdadeiramente imbuídos da vontade de ver a literatura nacional crescer.

  1. Você simplesmente não para de escrever. Recentemente você lançou o e-book Lembranças de um amor. Mas já estar trabalhando em um novo, qual é a história do mais novo bebê?

Sou uma autora hiperativa, admito… rsrs… Não consigo ficar muito tempo sem escrever, me dá certa angústia, como se faltasse algo dentro de mim. Assim que coloquei a palavra “fim” em Lembranças de um amor, uma nova história começou a germinar dentro de mim. No início, pensei em escrever apenas um conto com as ideias, porém, pouco a pouco, estou tendo certeza de que ela dará um novo romance. Já até batizei com o nome de Doce Recomeço. Existem certos mistérios nela sobre os quais quero fazer surpresa, mas posso dizer que será um New Adult, narrado em primeira pessoa, intercalando a Cecília e o Julius. A Cecília é uma moça de 22 anos, estudante de Serviço Social e atendente numa confeitaria. Será uma mocinha corajosa, decidida e determinada (um pouco diferente das minhas outras mocinhas, que tinham medo de correr atrás de seus sonhos). Já o Julius… não posso dar muito detalhes (nele mora o mistério do livro…rs), mas ele será um mocinho bastante fechado, aparentemente rude e de poucas palavras (bem diferente também dos meus outros mocinhos…rs).

  1. Para finalizar, qual personagem é mais parecida com você? E qual personagem masculino é o seu favorito? Eu morro de amores pelo Brian <3

Acho que a personagem que mais se parece comigo é a Patrícia, de Lembranças de um amor. Assim como a Patrícia, eu sou muito romântica, perdoo as pessoas com a maior facilidade do mundo, amo praia, livros e sou insegura com a minha aparência.

Meu personagem masculino favorito é o Gabriel (que os outros não me ouçam…rs). Sou apaixonada pelo lado humanitário dele e pela personalidade carinhosa.

Ah, sua linda! Muito feliz por você gostar tanto do Brian <3

separador2

Shirlei, muitíssimo obrigada por responder essas perguntas. Desejo a você todo o sucesso do mundo sempre! Eu que agradeço pelo convite, querida Samila! Amei demais todas as perguntas. Muito criativas. Obrigada demais por todo carinho <3

VITRINE

A MISSÃO DE ANABEL – SHIRLEI RAMOS / Editora: Amazon / Valor: R$ 6,99 (compre aqui)

MUNDOS OPOSTOS – SHIRLEI RAMOS / Editora: Amazon / Valor: R$ 8,99 (compre aqui)

O PAR PERFEITO – SHIRLEI RAMOS / Editora: Amazon / Valor: R$ 1,99 (compre aqui)

ATRAÇÃO EXPLOSIVA – SHIRLEI RAMOS / Editora: Amazon / Valor: R$ 6,99 (compre aqui)

TAG: LIVRO DE CHOCOLATE

Olá, pessoas. Trago livros XD! Apesar de que ultimamente não tenho lido tanto, resolvi fazer a tag “Livro de chocolate”, que achei lá no Teoria Criativa (post), com livros que li recentemente. É uma tag de 8 perguntas muito interessantes e gostosas, a qual espero que vocês também participem.
Como não sei escrever introduções, vamos logo ao que interessa.

tag livro de chocolate - blog qualquer coisa vira lata
.: Perguntas :.
1. Chocolate meio-amargo: um livro que cobre um tópico obscuro
Escolher um só foi meio complicado, mas como li “Carta de Amor aos Mortos” da Ava Dellaira recentemente, vou ficar com ele. É um livro lindo, muito fácil de ler e direcionado a um público jovem, porém, que trata sobre (SPOILER) a perda de pessoas queridas, tanto quando elas morrem quanto quando vão embora; abuso sexual e infantil e insegurança. Com certeza foi o livro barra pesada mais delicado que já li.

2. Chocolate branco: um livro leve e bem-humorado
Garoto Encontra Garota, da Meg Cabot, com certeza é o livro mais leve e engraçado que já li. Esse é o único que li há anos, mas como não sou muito fã do gênero comédia em livros vou ter que ficar com ele. O livro foi escrito em formato de post it, mensagens, SMS, etc., sem nenhum diálogo “ao vivo”, o que tornou tudo muito gostoso (e a história é bem fofa).

3. Chocolate ao leite: um livro que virou moda, todos falam e você está morrendo de
vontade de ler.
A Garota no Trem, Paula Hawkins. É um livro que estou esperando o filme sair para poder ler (como assim?). Tenho essa mania agora de que se eu gostar do trailer do filme, só posso ler o livro depois de vê-lo. Estranho, eu sei, mas é como diz o ditado: vamos fazer o quê?

4. Chocolate com caramelo: um livro que te fez sentir todo meloso durante a leitura.
Cem Verões, da Beatriz Williams, fez eu me apaixonar por um personagem de uma forma que nunca mais acontecera. É uma história cheia de altos e baixos, de despedidas, mas contada de um jeito simples. O mais interessante é a escrita, narrada tanto no presente quanto no passado (indico ler ouvindo a trilha sonora que a Rocco fez especialmente pro livro lá no Spotify).

5. Chocolate com wafer: um livro que te surpreendeu ultimamente.
Emília no País da Gramática, Monteiro Lobato. É isso mesmo, um livro infantil. O por quê? Simples: é que esse é um ótimo livro pra aprender e ensinar gramática. Como é recheado de personagens divertidos e uma imaginação incrível, as informações sobre a língua nos são reveladas de maneira bem legal. Indicado pra qualquer idade.

6. Chocolate com amendoim: um livro que está te fazendo surtar.
Não sei se essa pergunta era sobre um surto bom ou ruim, mas como gosto de chocolate com amendoim vou indicar um livro que gostei: Terra Sonâmbula, Mia Couto. Gente, que livro é esse? Cheio de frases incríveis em histórias geniais. Duas histórias que se cruzam, surpreendem e emocionam. Por favor, leiam esse livro, vai mudar a vida de vocês, sério!

7. Chocolate quente: um livro que te conforta.
O Último Urso-Polar, do Felix Richter, me surpreendeu. Achei que era uma coisa, mas era outra e acabei me sentindo em casa ao lê-lo. Tudo acontece bem rápido e eu definiria o livro como um real irreal. A história é bem louca (irreal), mas a escrita, a fala dos personagens e seus pensamentos são coisas que diríamos na vida real. Como não sei usar termos técnicos, essa vai ser a minha definição do livro. Ah, e a capa é linda.

8. Caixa de chocolates: uma série bem variada que você acha que pode agradar pessoasde vários gostos.
Tô lendo Harry Potter (depois de mil anos sendo a do contra) e estou entendendo seu sucesso.Não me arrependo de não tê-lo lido antes porque acredito que hoje posso ter uma dimensão maior da criatividade e engenhosidade da J. K. Rowling e, assim, saborear muito mais do que apenas a história (que já é extraordinária por si só). Mas já quero morar em Hogwarts e tudo o mais! Indicoa todos.

Espero que tenham gostado. Se quiserem me seguir: Skoob Insta =D

ESPECIAL STEPHANIE PERKINS: ANNA E O BEIJO FRANCÊS, LOLA E O GAROTO DA CASA AO LADO E ISLA E O FINAL FELIZ

Olá, Vira Latas! Hoje, depois de décadas, ok exagerei, eu vou resenhar um livro, ou melhor, três livros da mesma escritora. Sendo assim, nada melhor do que fazer um especial da Stephanie Perkins. A escritora responsável por criar o livro Anna e o Beijo Francês, e consequentemente, Lola e o Garoto Da Casa Ao Lado e Isla e o Final Feliz.RESENHA ESPECIAL STEPHANIE PERKINS

Anna e o Beijo Francês

separador1“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina… Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.” Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada… Anna e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer? Stephanie Perkins escreveu um romance de estreia divertido, com personagens espirituosos que garantem dedos formigando e corações derretendo.separador2

Anna e o beijo francêsEu li esse livro em 2012, minha irmã comprou por minha causa, hehe. Eu estava louca para ler um livro voltado para a minha idade, tinha dezessete anos e, sinceramente, eu estou velha. Fiquei super fascinada com a sinopse e tinha colocado na cabeça que eu precisava comprar. Mas eu só tinha dinheiro para um livro e na livraria também tinha Era Uma Vez a Minha Primeira Vez, da Thalita Rebouças. Resultado, eu comprei o da Thalita e a minha irmã o da Anna.

Anna é uma menina “sortuda”, ela simplesmente iria estudar na França; em um colégio super disputado que não era qualquer pessoa que estudava lá. Acontece é que Anna era filha de um escritor que estava no auge do sucesso. Digamos que ele era uma espécie de Nicholas Sparks. Anna não queria estudar lá. Ela deixou em sua cidade natal, a sua melhor amiga e o seu crush, na época nem usávamos  essa palavra.

Entretanto, o que parecia ser uma furada se transformou em uma história bem agitada. Anna virou amiga do Étienne St. Clair, um americano super fofo, eu não acho, mas sou uma exceção. Anna se torna amiga dos amigos de St. Clair. Eles formavam aquele casalzinho fofo. Só tinha um único problema, o garoto tinha namorada. Ele precisava arrumar tanto a sua vida amorosa quanto os problemas familiares que ele tinha. E quem disse que Anna não passaria por problemas? Ela precisava descobrir se o seu (ex) crush ainda se lembrava dela. E se a sua amizade com a sua “melhor” amiga ainda era a mesma.

Ah! Esse livro vai fazer você querer conhecer a catedral de Notre Dame. Aquela mesmo que tem na animação de O Corcunda de Notre Dame. Além. é claro, de querer conhecer vários pontos turísticos da França.

Eu adorei esse livro! Ele é leve e fofo (já usei essa palavra várias vezes). Sabe aqueles livros que você pega e devora de uma só vez? Então esse é um bom exemplo. O livro possui uma narrativa leve, apesar de nos mostrar problemas mais sérios. Mas, até mesmo esses problemas são escritos de forma sutil pela Stephanie Perkins. Sem dúvidas, esse é um livro que fala sobre sonhos, lutar por aquilo que acreditamos. Além, é claro, nos presentear com um romance lindo que tem Paris como cenário.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado

lola e o garoto da casa ao ladoseparador1A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro.

Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.separador2

Esse livro eu também li há um tempo, em 2013. Dei de presente para a minha irmã de aniversário. Juro que não tive nem segundas intenções. Apesar de ter dado com muitos meses de antecedência. Focando na resenha… o livro conta a história da Lola, uma jovem cheia de personalidade, que adora confeccionar as suas roupas e amava usar perucas. Ela sempre foi uma menina muito leve. Só tinha alguns defeitinhos, o seu namorado era uma persona non grata. Os pais da Lola odiavam o garoto. Mas eles não estavam errados, o namorado dela não a respeitava. Ele conseguia diminuir o brilho que a Lola possuía.

Tudo ia relativamente normal na vida dela, até que as pessoas que ela menos queria vê na vida apareceram: os irmãos gêmeos Bell, Calliope e Cricket. Lola precisará lidar com a volta dos dois. Além, é claro, de resolver todos os outros problemas. Entre esses problemas está o fato de tentar ajudar a sua ex-amiga Calliope, uma famosa patinadora, e, é claro, descobrir o que ela ainda sente pelo Cricket, o garoto que ela sempre foi apaixonada, mas que não teve o amor correspondido.

Esse livro é bem amorzinho e trata de forma leve vários assuntos importantes. Lola é criada por dois pais, já que sua mãe é alcoólatra e nunca se importou com ela. Além disso, o livro nos mostra como uma pessoa de áurea tão boa pode namorar um garoto que só tem como missão na terra colocar a sua vida e a de todos que estão ao seu redor para baixo. Ah! A Anna e o St. Clair aparecem bastante nesse livro. É bom ver o caminho que eles tomaram depois de Anna e o beijo francês. Mais uma vez indico esse livro para quem quer uma leitura boa, leve e com personagens com uma personalidade ímpar.

Isla e o Final Feliz

isla e o final feliz - qualquer coisa vira lataseparador1Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito.

Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias, envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes.

Com participações de Anna, Étienne, Lola e Cricket, personagens mais do que queridos pelo público apresentados em livros anteriores da autora, Isla e o final feliz é uma história de amor delicada, apaixonante e sedutora, um desfecho que vai fazer os fãs de Stephanie Perkins suspirarem ainda mais.separador2

Finalmente chegamos até Isla e o Final Feliz. Vou confessar que dos três livros esse é o meu favorito. Isla (lê-se Aila) também estuda no mesmo colégio francês que Anna e St. Clair estudavam. Ela sempre foi apaixonada pelo Josh, o melhor amigo de St. Clair. Mas ela trocou pouquíssimas palavras com o garoto ao longo dos anos. Porém, tudo muda no último ano do colégio. Isla toma coragem e finalmente começa a conversar com Josh. Ele, que sempre foi um garoto que ama desenhar, adorou o fato de que Isla se aproximasse. Os dois sempre foram muito parecidos. Isla compartilha com ele vários dos seus segredos. Josh não fica atrás, ele confia verdadeiramente em Isla, a ponto inclusive de leva-la junto em suas viagens pela Europa. Mas, nem tudo é um conto de fadas. Isla é uma menina insegura, além de ser indecisa. Ela vai precisar fazer escolhas e é claro que Josh lhe ajudará nesse processo. Mas, Josh também precisará descobrir qual caminho certo ele precisa tomar na sua vida.

Esse livro se tornou o meu queridinho dos três pelo simples fato de Isla ser uma menina comum. Ela é tímida, não sabe ao certo o que quer para a vida. E acaba sempre tentando proteger as pessoas que ama. Já o Josh é um menino introspectivo que vê em uma folha de papel um mundo. São nos desenhos que ele descarregava a sua energia. Ele acaba sendo o tipo de garoto inteligente, mas que por algum motivo não gosta de mostrar o quanto sabe. Mas é ao lado um do outro que esses dois mudam, eles percebem que tem tanta coisa em comum, além é claro o fato de gostarem um do outro.

Eu amei esse livro e acabei postando vários snaps. Se quiserem me seguir vocês me encontram lá como Samila Bezerra. Amei todas as citações arquitetônicas que eu encontrei no livro. Amei o romance dos dois. Amei a leveza do livro. E amei rever todos os personagens dos dois livros anteriores.

Lendo esses três livros da Stephanie Perkins, eu pude perceber que ela adora escrever sobre os jovens e as suas inseguranças. Todos os personagens são bem diferentes um do outro, mas TODOS enfrentam problemas que os deixam frágeis. Em cada livro Stephanie nos mostrou como os personagens conseguiram superar seus problemas, sem perder a leveza.

Super indico esses livros para todos que gostam de livros bons, com cenários incríveis e personagens únicos. Tanto Anna e o Beijo Francês e Lola e o Garoto da Casa ao Lado foram lançados pela editora Novo Conceito, já Isla e o Final Feliz foi lançado pela editora Intrínseca. Espero que vocês tenham gostado do especial. Caso não tenham lido os livros corram e leiam, vocês não vão se arrepender.

VITRINE

ISLA E O FINAL FELIZ – Stephanie Perkins / Editora: Novo Conceito / Valor: R$ 25,50 (compre aqui)

LOLA E O GAROTA DA CACA AO LADO – Stephanie Perkins / Editora: Novo Conceito / Valor: R$ 29,86 ( compre aqui)

ANNA E O BEIJO FRANCÊS – Stephanie Perkins / Editora: Intrínseca / Valor: R$ 30,73 (compre aqui)

TAL QUÍMICA – CAP.08 – SAMILA BEZERRA

tal químicaSe alguém já lhe deu a mão
E não pediu mais nada em troca
Pense bem, pois é um dia especial
Eu sei que não é sempre que a gente encontra
Alguém que faça bem e nos leve deste temporal
O amor é maior que tudo
Do que todos, até a dor se vai
Quando o olhar é natural
Sonhei que as pessoas eram boas
Em um mundo de amor
E acordei nesse mundo marginal
Mas te vejo e sinto
O brilho desse olhar que me acalma
Me traz força pra encarar tudo

(Dia especial- Cidadão quem)

Sinceramente, eu não sei onde estava com a cabeça quando resolvi caprichar tanto na festa do Gael. É óbvio que as meninas ajudaram, mas eu coloquei na cabeça que eu queria que fosse tudo perfeito e isso deu um trabalhão. Claro que o Gael merecia receber uma festa tão linda, mas essa brincadeirinha fez com que eu acumulasse vários trabalhos da faculdade para entregar. Desde o início do curso eu sempre escutava piadinhas do tipo: vida social quem conhece? Abatido por falta de sono. Viciado em café. Eu sempre achei tudo isso a maior besteira. Sempre detestei café, e perdia no máximo algumas noites de sono. Mas isso era na época em que eu fazia os trabalhos na data certa, para evitar o acúmulo. Lembro várias vezes do Oscar reclamando que eu deixava de sair com ele para poder terminar um projeto. Mas agora eu vejo o quanto eu era feliz e não sabia. Mesmo odiando café eu estava viciada nessa bebida. Sempre tinha um copo ao lado da minha mesa. Dormir tinha se tornado um artigo de luxo, nem o soninho que ia das quatro da manhã até as nove eu estava conseguindo ter.  A situação estava tão complicada que eu mal vi a hora que a Marcela se aproximou de mim.

-Acorda, Bela adormecida, senão a galera vai se esquecer da gente. – Eu estava sentada no chão do bloco de arquitetura dormindo.

-Isa, você ainda está viva? –Marcela chacoalhou o meu braço.

-Não sei, Marcelinha. –Eu bocejei.

Para vocês terem noção a única coisa que eu consegui caprichar foi na maquiagem já que eu necessitava esconder as olheiras. Como estava frio e iríamos fazer uma visita a uma igreja antiga que ficava em uma cidadezinha que fazia mais frio ainda, resolvi colocar um look monocromático, uma calça justinha preta com um moletom preto e o mini sneaker preto da Nike. Assim não teria erro.

-Não dormiu direito essa noite?

-Dormir? O que é isso, Marcela? –Eu tentei brincar. –Não durmo desde domingo. A festa do Gael fez com que eu atrasasse os trabalhos de história da arte, o projeto arquitetônico e os estudos para a prova de calculo. Ainda falta a gente fazer a maquete.

-Ai, Isa, cálculo você tira de letra, e eu tenho certeza que você já está terminado o projeto arquitetônico. A maquete combinamos de começar hoje, esqueceu?

-Eu sei, Marcelinha, mas é muita coisa para pouco tempo.

-Falando em festinha, vi um certo casalzinho na pista de dança, mas ao invés de dançar eles não paravam de se beijar.

Marcela reparava em tudo mesmo. –Quem foram esses?

-Não se faça de desentendida, dona Isa.

-Está bem, eu confesso, eu fiquei com o Bê, mas isso não vai interferir na nossa amizade. Já conversamos.

-Como assim, dona Isabelle? Por quê?

-Ah Marcelinha nós conversamos, eu prefiro ser só amiga do Bê, não quero misturar as coisas sabe. Além disso, estou curtindo a minha solteirice.

-Fiquei triste, mas você é quem sabe o que é melhor. Estou do seu lado para o que você precisar. –Ela me abraçou. –Agora vamos porque senão perderemos a viagem.

A viagem durou quase duas horas, tempo suficiente para dormir um pouco. Visitamos igrejas lindas que tinham um estilo barroco. Apesar do foco da viagem não ser estudar história da arte, mas sim, a urbanização de uma cidade planejada do interior. Era impossível não ter uma aula sobre como aquelas belas igrejas foram construídas e qual a importância àqueles traços possuem para representar uma determinada época. Já passava de uma e meia da tarde quando paramos para almoçar. Comemos um nhoque recheado com queijo e frango desfiado com molho de tomate de acompanhamento nada melhor do que um suco de acerola.

O restaurante estava uma zona. As meninas riam das bobagens que os meninos falavam, mas eu percebi que Marcela não desviava a atenção do celular, mas eu tinha quase certeza que ela não estava gostando muito do que lia.

-O que foi, Marcelinha? Algum problema?

-O Arthur queria sair esse final de semana. –Acho que ela não curtiu a ideia.

-E isso não é bom?

-Sinceramente, Isa, eu não sei. –Ela guardou o celular na bolsa. –Eu gosto muito do Arthur, ele quase sempre me faz rir. Mas eu não consigo me apaixonar por ele. Olha que eu já tentei. –Ela abaixou os ombros em forma de rendição. –Na festa do Gael a gente mal ficou. Por minha causa, porque se dependesse dele não nos desgrudaríamos. Você sabe, eu não gosto de relacionamentos grudentos, mas eu gosto do Arthur. Isso está muito confuso. –Ela tentou sorrir.

-Ai, amiga, isso é tão normal. Você tenta gostar do Arthur, mas não consegue que seja da mesma intensidade que ele gosta de você. Já eu gosto muito do Bê, mas não quero abrir mão da amizade. Estamos arranjadas, viu. – Nós duas começamos a rir. –Um brinde a nossa solteirice. –Eu ergui o meu copo.

-Um brinde. –Ela ergueu o copo de vidro e nós batemos um no outro.

——–&——–

Voltamos para faculdade por volta das cinco e meia da tarde. Eu passaria em casa para preparar uma mochila para em seguida ir à casa da Marcela, onde faríamos a maquete. Mas eu precisei mudar os meus planos, pelo menos tive que adiá-los. Quando abri a porta do meu quarto vi que Bianca estava deitada em minha cama e não parava de chorar, chegava a soluçar. Tadinha da minha sobrinha. Quando ela me viu começou a chorar mais ainda (não sei como isso era possível), além disso, correu para me abraçar.

 -A mamãe vai morrer e a culpa é minha. –Isso foi o que eu consegui entender.

-O que aconteceu Bianquinha?

-Eu briguei com a mamãe e agora ela está morrendo por minha causa.

Meu pai foi até o meu quarto, já que percebeu que Bianca conversava com alguém. –Filha que bom que você chegou. Eu preciso ir para o hospital, os seus sobrinhos nascem hoje.

-Já, mas não era só para a semana que vem?

-Eles quiseram adiantar a chegada.

-A minha mãe vai morrer, os meus irmãos também. –E mais choro.

-Ela não vai morrer meu anjo. Pelo contrário, vai voltar com mais duas vidas para casa: os seus irmãos. –O meu pai falou enquanto passava a mão na cabeça de Bianca.

-Por quê a Bianca está chorando tanto? –Eu perguntei quando a minha sobrinha sentou na minha cama.

-Ela queria brincar com a mãe, mas como sabemos, a Letícia anda cansada nos últimos tempos. Aí ela disse que a mãe não gostava mais dela, e pouco tempo depois a Letícia disse que precisava ir para o hospital. –Ele me explicou. –Eu vou para o hospital minha filha. Quando os meninos nascerem eu aviso.

Antes de sair ele deu um beijo em Bianca e pediu para ela se acalmar. Minha sobrinha estava mais calma, inclusive foi para a sala assistir a um filme que passava na Disney. Eu aproveitei o momento para tomar banho, afinal de contas eu estava podre e muito cansada. Eu sabia que não teria como passar a noite na casa da Marcela fazendo a maquete. Provavelmente, quase certeza, precisaria cuidar de Bianca. Sendo assim, tratei de ligar rapidamente para a minha amiga. No segundo toque ela atendeu.

-Marcelinha?

-Isa, que coincidência eu acabei de falar sobre as nossas aventuras de hoje para a galera. Tudo certo para daqui a pouco?

-Então, Marcelinha, eu tenho quase certeza que não vai dar para fazer a maquete hoje. Os meus sobrinhos resolveram nascer.

 -Que maravilhoso, Isa! –Ela devia estar explicando a novidade para a galera. –Você está no hospital?

-Não amiga. Eu estou aqui em casa cuidando da Bianca, mas assim que eles nascerem eu vou levá-la para conhecer os irmãos.

-Não deixa de me avisar. E não se preocupa com a maquete, ainda temos uma semana para fazer.

-Ok, amiga. Beijos.

-Beijinhos.

Assim que eu desliguei, coloquei o celular na bancada e liguei o chuveiro. Nossa tanta coisa estava acontecendo no dia de hoje. Primeiro, foi a “viagem” com o pessoal, agora, o nascimento dos meninos. Eu já estava imaginando a zona que a minha casa ficaria com três crianças, sendo dois recém-nascidos.

Acho que demorei uns bons quinze minutos no banho, queria ter ficado mais, mas não podia deixar a Bianca sozinha. Como estava fazendo um friozinho e já era à noite, eu resolvi colocar uma roupa mais quente, nada melhor então do que uma calça azul com bolinha da Colcci com um moletom cinza. Era oficial: hoje era o dia do moletom. Aproveitei e separei também uma roupa para Bianca. Se eu já estava com frio, imagina a minha sobrinha, principalmente saindo à noite.

Eu tinha acabado de sentar no sofá quando tocaram a campainha, me levantei para ver quem era e confesso que fiquei surpresa ao ver o Bernardo que trazia uma caixa na mão.

-Oi, Bê. –Eu o abracei. –O que devo a honra da sua visita?

-Eu vim ver como a Bianca está. –Sei que isso era ridículo, mas eu fiquei com uma pontinha de inveja. Ele não foi me ver.

-Entra, Bê. –Fomos em direção à sala local onde Bianca permanecia assistindo filme. –Bianquinha, o Bê veio te ver.

 Bernardo foi até a Bianca, imediatamente a minha sobrinha o abraçou. Aquela cena foi linda. Depois do abraço Bernardo entregou a caixa para ela. Quando Bianca abriu encontrou uma linda boneca, mas não era qualquer boneca, era a Cinderela.

-Que linda, tio Bernardo. –Ela o abraçou novamente. –Obrigada. –Ela disse com um lindo sorriso no rosto.

-Você merece Bianquinha. –Ele sorriu para ela. Meu Deus por que o Bernardo insistia em manter aquela barba?

-Bê, não precisava se preocupar com a Bianquinha. –Eu falei.

-Não se preocupa, Isa, ela me lembra a minha priminha que mora na Europa, eu também dei uma boneca para ela quando o irmãozinho mais novo nasceu.

-Tia Isa, faz brigadeiro para a gente. –Pediu Bianca. –Tio Bernardo você vai amar o brigadeiro da tia Isa.

-Eu acho melhor eu ir. –Ele falou olhando nos meus olhos, era como se ele estivesse pedindo para que eu não deixasse que ele fosse embora.

-Não Bê, fica. –Eu realmente queria a companhia dele.

-Tudo bem. –Ele sorriu.

Eu fui para a cozinha preparar o brigadeiro, enquanto isso, os dois ficaram assistindo. Apesar de termos conversado sobre os beijos, eu sabia que de alguma forma a nossa amizade estava diferente. Acho que o fato de só ter tido um namoro sério até hoje fez com que eu não tivesse experiência com os homens. Será que sempre seria assim ou o problema em especial era o Bernardo? Eu queria tanto que a minha vida fosse diferente, mas não dessa forma. Eu não queria perder a amizade dele.

Quando o brigadeiro esfriou, eu peguei três colheres e levei tudo para a sala.

-Vocês querem brigadeiro? –Eu perguntei já sabendo a resposta.

-Sim! –Deu gritinhos Bianca que esperta toda pegou logo a colher.

-Será que é bom mesmo? –Brincou Bernardo antes de colocar a colher na boca.

-É ótimo! –Eu sorri para ele.

TOP 05 DE LIVROS PARA LER NAS FÉRIAS

Olá, Vira Latas! Vamos de top cinco hoje? Eu sei que muito de vocês estão de férias, a minha já acabou. Triste fim! Mas como vocês estão aproveitando as férias, nada melhor do que ler um livro legal. Pensando em ajudar vocês indicarei cinco livros leves que eu tenho certeza que vocês irão adorar.

  1. Azar o Seu, da Carol Sabar.

azar o seu - carol sabarO livro conta a estória da Beatriz (mais conhecida como Bia) ela é uma mineirinha de Juiz de Fora que resolveu morar no estado do Rio de Janeiro. Ela tinha um emprego em uma empresa estava prestes a ser promovida quando foi demitida por justa causa. Ei! Não pensem que a Bia aprontou para perder o emprego, na verdade ela foi vítima de uma armação. Sem emprego Bia decide voltar para Minas. Em certo dia ela está no trânsito do Rio de Janeiro quando ocorre um tiroteio. Ela tinha certeza que morreria, então resolveu falar sobre coisas bastante importantes da sua vida para um deus grego que desceu do seu carro e foi lhe salvar. O que a Bia não esperava era que aquele cara gato era o seu amigo Guga, o garoto que era o grande amor da sua vida, mas que tinha lhe esquecido quando foi para Londres há dez anos.

Resenha: http://qualquercoisaviralata.com.br/?s=azar+o+seu

  1. Um Amor de Cinema, da Victoria Van Tiem

tag junina 4Ao ficar noiva de Bradley, Kenzi imaginava que pela primeira vez da vida as atenções da sua família se voltariam para a preparação do casamento. Mas o que ela não esperava era que a sua cunhada ficaria grávida na mesma época. Além de ser colocada para escanteio,Kenzi pode perder o seu emprego de diretora de design, entretanto, para não ficar desempregada, ela precisa fechar um contrato importantíssimo. O que ela não esperava, era que esse contrato viria acompanhado do seu ex-namorado, e de uma lista com o título de dez filmes românticos como: Uma linda mulher, Vestida para casar entre outros.

Resenha:http://qualquercoisaviralata.com.br/2015/05/um-amor-de-cinema-victoria-van-tiem-verus-editora/

  1. No Mundo da Luna, da Carina Rissi

NO MUNDO DA LUNA - CARINA RISSIO mais novo livro da Carina Rissi conta a estória de Luna, uma jornalista recém-formada que trabalha na revista Fatos & Furos no cargo de recepcionista, isso mesmo: RECEPCIONISTA. A garota precisa aturar a ira de um chefe chato e que ainda mais não consegue decorar o seu nome, jura que a menina se chama Clara. A Fatos & Furos começa a perder seus jornalistas e finalmente a Luna terá a chance de publicar algo. Ok, estamos falando do horóscopo, uma coluna que várias pessoas dizem não acreditar, mas na maioria das vezes olham o seu signo para ver como vai ser a sua semana. Luna poderia ser uma ótima colunista, o problema é que ela não entende nada sobre o assunto. Porém, ao decorrer da estória descobrimos a relação de Luna com a cultura cigana, já que a sua avó é uma.

Resenha:http://qualquercoisaviralata.com.br/2015/04/no-mundo-da-luna-de-carina-rissi-verus-editora/

  1. Do Seu Lado, da Fernanda Saads

DO SEU LADOO livro conta a estória da Sarah uma arquiteta que trabalha em um escritório de arquitetura, um dos seus colegas de trabalho é um grande amigo da faculdade, estou falando do Igor que simplesmente é completamente apaixonado por ela, mas a garota não se da conta. Isso chega a ser irritante. Tudo ia normal na vida de Sarah, ela precisava lidar com clientes chatos e com uma super extravagante que se chama Fátima, que gente é um amor de pessoa. Até que apareceu um novo cliente, mas esse não era qualquer um, estamos falando do Bruno, o ex-namorado que a traiu. Já da para prever tudo que vai acontecer. Sarah vai precisar decidir se dará uma chance para o ex ou não.

Resenha:http://qualquercoisaviralata.com.br/2015/08/do-seu-lado-fernanda-saads-novo-conceito/

  1. Aonde Quer Que Eu Vá, da Beatriz Cortes

AONDE QUER QUE EU VÁ - beatriz cortes - qualquer coisa vira lataO livro narra à estória da Ester, uma ginasta que estar treinando freneticamente para as olimpíadas de Sydney, que ocorreram em 2000. Ester na época tinha 20 anos, mesmo treinando bastante para o seu grande momento ela sentia um vazio que não sabia muito bem explicar do que se tratava. Mas ela acabou deixando esse “problema” de lado e tentou focar apenas nas olimpíadas.

O que Ester não imaginava era que do outro lado do mundo ela conheceria a pessoa que mudaria o seu mundo para sempre. Em um baile de máscaras, cujo ela não deveria nem participar, ela conheceu o Bruno, o psicólogo mais desastrado e mais apaixonado que poderia existir.

Resenha:http://qualquercoisaviralata.com.br/2016/06/aonde-quer-que-eu-va-beatriz-cortes/

Como vocês puderam perceber todos os livros indicados tem resenha aqui no blog. Todos são comédia romântica, com exceção de Aonde Quer Que Eu Vá, da Beatriz Cortes. Mas estamos em clima de olimpíada, além disso, esse livro é lindo e merece ser lido.

Espero que vocês tenham gostado do nosso top cinco de livros para ler nas férias. Até a próxima, Vira Latas.

TAL QUÍMICA – CAP. 07 – SAMILA BEZERRA

tal químicaLembro do seu corpo, do seu cheiro, do seu gosto
Do tempero do teu beijo, do calor do nosso amor
Me lembro como cantas, pra quem reza, como dorme
Do odor do seu perfume, da cor do seu batom
Me lembro da vontade que me deu
Quando te vi pela primeira vez
Surgiu de um jeito louco que eu gosto
Era presente grego de Deus

(Ultima cena- Manitu)

Eu estava dormindo e tenho certeza que permaneceria naquele estado durante um bom tempo, mas o meu celular fez questão de me acordar. Quase levei um susto quando vi que estava o maior sol no meu quarto, com certeza já passava de meio-dia. O ser que me tirou do meu soninho foi o Gael.

-Oi, Gael. –Eu falei meio sonolenta.

-Não acredito que você acordou agora, dona Isabelle. –Ele respondeu. Dava para ouvir som de forró.

-Acredite! –Eu falei em meio a um bocejo.

-Dá tempo de colocar um biquíni e ir à praia com a gente. –  Eu tenho certeza que ele já estava na praia.

-Valeu pelo convite, mas eu vou ficar por aqui mesmo. Aproveitem bastante.

-Pode deixar beijos.

-Beijos.

Assim que eu desliguei olhei a hora no celular e vi que era apenas DUAS HORAS E VINTE MINUTOS DA TARDE. Isso era uma vergonha. Eu nunca dormi por tanto tempo, tudo bem que eu demorei bastante para pegar no sono na madrugada passada. Eu me levantei e a primeira coisa que vi foi o meu vestido pendurado no encosto da cadeira e como se fosse um remédio para memória, eu me lembrei de tudo que tinha acontecido.

-Bê, eu adoraria passar a noite inteira aqui dançando com você, mas acho que precisamos entrar. –Eu disse ao fim de mais um beijo.

-Pior que você tem razão, senão a galera vai pensar que eu te sequestrei. –Essas palavras foram pronunciadas em meu ouvido.

Voltamos para o salão, mas antes Victória e Felipe, um estudante de educação física com quem a Vic estava ficando, surgiram misteriosamente na nossa frente. A minha amiga pediu para tirar uma foto nossa. Depois que ela tirou fui direto para o banheiro tentar salvar a minha maquiagem: meu batom já não existia há décadas, mas quer saber eu adorei. Foi maravilhoso me sentir desejada por alguém tão lindo como era o Bernardo.

Tudo estava perfeito, Gael estava amando cada detalhe da festa. Ele ainda estava muito emocionado. Acho que mesmo sabendo que era muito amado por todos nós, não tinha passado pela a sua cabeça que faríamos uma festa de boas vindas.

Depois de dançarmos bastante, na festa tocou de tudo. Tinha chegado a hora do discurso do Gael. Ele que estava bastante suado, prova do quanto ele dançou, ele não escondeu as lágrimas que escorriam pelo seu rosto.

-Eu preciso entender que toda vez que eu estou com vocês eu chorarei bastante. Mas que bom que pelo menos é de alegria. –Ele disse enquanto olhava para cada um de nós. –Não existem palavras suficientes para agradecer a essas meninas pela linda festa que fizeram. Marcelinha, Isa, Cecília, Alice e Vic muito obrigado. Saibam que eu sou uma das pessoas mais sortudas do mundo por ter vocês como amigas. –Ele enxugou as lágrimas. –E chega de choro. Eu quero ver todo mundo dançando bastante.

-Viva o Gael! –Puxou o coro a Marcelinha. Que como era de se esperar foi acompanhada por todos. Acho que aquela festa iria até o dia clarear.

Antes de a festa acabar Bernardo conseguiu me “sequestrar” para um canto mais vazio e lá a sessão de beijos recomeçaram. Porém, não durou muito. Bernardo além de beijar bem se mostrou um cavalheiro, fez questão de me fazer companhia no táxi que me levaria para casa.

-O que eu fiz da minha vida. –Eu falei enquanto me jogava na minha cama. –Tanto menino no mundo eu tinha que ficar logo com o Bernardo? O menino que eu estava amando ser amiga.

Não sei se foi ação do além, mas de uma hora para outra Bernardo resolveu me mandar uma mensagem. Eu precisava imediatamente resolver aquele problema que eu tinha me metido.

(Bernardo) Menina linda do sorriso que me traz luz. Isa topa ir ao cinema comigo hoje à noite?

Ele precisava colocar logo o trecho da música, da nossa música? Eu tinha que ser forte, não aguentaria passar por outra decepção nem tão cedo na minha vida.

(Eu) Boa tarde Bê. É claro que eu aceito, preciso falar com você.

(Bernardo) Estou encrencado?

(Eu) É claro que não. J Até mais tarde, bjs.

(Bernardo) Ufa! Beijos menina linda ;D

Eu poderia me odiar futuramente pelo que eu estava disposta a fazer, mas eu não queria e nem podia perder mais um amigo simplesmente por estar gostando demais dele.

Eu tomei um banho e preparei o meu “café da manhã” peguei uma fatia de bolo de limão, já falei para vocês como a minha mãe arrebenta na cozinha, para acompanhar o bolo nada melhor do que um copo de café. Arrumei a bagunça em que a cozinha se encontrava. Toda a minha família tinha ido passar final de semana na chácara da família de Letícia, por isso acabei dormindo tanto: a casa estava um silencio total.

Eram seis horas quando eu fui me arrumar. Não quis fazer uma mega produção, mas também não iria de qualquer jeito, estava amando a minha nova fase fashionista. Eu coloquei um vestido azul marinho de alça, um cardigã cinza, por cima coloquei um cintinho azul para marcar a cintura. Nos pés calcei uma sapatilha cor de ouro com um lacinho lindo da Santa Lolla. Como já era noite eu não gostava de andar com uma bolsa imensa, então peguei uma transversal preta de franjinha que também era da Santa Lolla. Lá caberia perfeitamente meu celular, fones de ouvido, carteira, batom e creme de mão.

Eu cheguei ao shopping às sete e meia. Bernardo já estava me esperando na praça de alimentação. Ele vestia uma roupa despojada e ainda tinha aquela barbinha para fazer, era impossível não me lembrar do efeito que ela causava em minha pele.

-Oi, Isa. –Ele se levantou para me cumprimentar, me deu um beijo demorado em minha bochecha acompanhado de um abraço maravilhoso.

-Oi, Bê. Desculpa pelo atraso. –Meu Deus eu estava bastante nervosa.

-Está tudo bem, Isa? –Ele me perguntou enquanto sentávamos.

-Bê, eu não sei por onde começar. –Eu falei enquanto passava a mão pelo cabelo, tinha mania de fazer aquilo quando estava nervosa.

-Acho que pelo começo, Isa. –Ele tentou descontrair. –Eu fiz alguma coisa de errado?

-Não, Bê. Pelo contrário, mas eu preciso esclarecer uns fatos porque eu não quero magoar ninguém.

-Você está me assustando. –Ele acariciou a minha mão, mas não foi com segundas intenções, mas sim como um amigo faria.

-Bê, antes de tudo eu queria dizer que eu amei tudo que aconteceu ontem, eu me senti uma princesa sabe, quer dizer não sei ao certo se princesa seria a melhor definição, mas me senti querida e senti que você também estava se sentindo assim. Pelo menos foi essa a impressão que eu tive. –Agora era eu que acariciava a mão dele. –Mas apesar de ter amado toda essa sensação eu fiquei com medo e ainda estou. Bê, eu não sei se você sabe da história, mas tem pouco tempo que eu peguei o meu ex-namorado me traindo com a vizinha dele. Além de perder o meu namorado que estava comigo há quase três anos, eu perdi o meu amigo. E apesar de ter o Gael como amigo, o Oscar foi uma pessoa importante na minha vida. –Eu senti que uma lágrima escorregava pela minha bochecha. –Ele não era vascaíno. –Eu tentei sorrir. –Mas tínhamos muitas coisas em comum, e do nada eu não posso mais falar com ele e nem quero.

Bernardo continuava escutando tudo aquilo que eu tinha para dizer.

-Eu posso estar pagando de louca, Bê. Eu sei que para você significou apenas alguns beijos. Mas eu estou amando ter você como amigo. Não pense que você é o substituto do Oscar, pois não é. Até porque não tem como substituir as pessoas. Além disso, eu não conseguiria voltar a ser amiga dele depois de tudo que ele me fez. Mas do fundo do meu coração eu estou amando ser a sua amiga. Você é um menino lindo tanto por dentro quanto por fora e eu não quero misturar as coisas, sabe. Desculpa se eu falei alguma besteira. –Ao terminar eu enxuguei as lágrimas que escorriam pelo meu rosto.

Bernardo ficou me encarando, mas logo em seguida pegou as minhas mãos e as beijou.

-Isa, para mim, ontem não foi apenas mais uns beijos, eu curti cada momento que eu passei com você. Mas eu quero que você saiba que eu respeito muito tudo isso que você disse. Eu também estou amando te ter como amiga. Você não me vê apenas como um cara bonito, você enxerga além. Infelizmente nem todas as meninas conseguem me ver da mesma forma como você. –Ele me encarava com seus lindos olhos verdes. –Eu quero e preciso ser o seu amigo. Você é uma das melhores pessoas que cruzaram o meu caminho nos últimos tempos. –Eu agora estava chorando mais ainda. –Agora para de chorar porque senão eu choro também.

Terminado essas palavras ele se levantou e me puxou para um abraço apertado. Para fechar o pacote ele deu um beijo na minha testa.

-Você aceita assistir aos Minions comigo? Prometo que a gente não vai chorar. –Ele disse com um sorriso torto.

-É claro que eu aceito seu bobo. Só não garanto que não vou derramar nenhuma lágrima.

-Se você estar dizendo. –Ele entrelaçou seus dedos nos meus e seguimos rumo à sala de cinema.

Não sei como ficaria a minha amizade com o Bê a partir de agora, mas preferia e precisava ser sincera tanto comigo quanto com ele. Chega de ficar misturando as coisas, eu queria aproveitar a minha solteirice, mas não queria perder a amizade dele.

——–&——–

Eu cheguei em casa por volta das onze da noite. Bernardo mais uma vez fez questão de me dar uma carona. Até agora não sei como ficará a nossa relação, ele evitou me chamar de menina linda, acho que ele está tentando colocar limites na nossa amizade e para falar a verdade acho que será bom. Mas confesso que dói um pouco não ser chamada assim. Eu sei estou parecendo uma menina mimada que uma hora diz que quer uma coisa, porém em seguida não quer mais. Mas é que eu precisava colocar limites para mim mesma. E quer saber acho que assim será melhor.

Passei direto para a cozinha, eu estava morrendo de sede; lá encontrei a minha mãe que estava com quatro caixas de sapato. Dona Elena amava comprar sapatos, e eu amava calçar o mesmo número que ela.

-Boa noite, mãe. –Eu falei enquanto pegava um copo.

-Boa noite minha filha sumida. Como foi a festa?

-Foi ótima, mãe. A Vic postou as fotos.

-Quero ver!

-E eu quero ver os sapatos novos. –Eu apontei para eles.

-Eu vou preparar chocolate quente para nós, ok.

-Ok. –Eu guardei o copo. –Vou tomar banho então.

Depois de tomar banho eu coloquei o meu pijama mais confortável, estávamos no inverno e tinha dias que ele resolvia congelar todo mundo, então nada melhor do que colocar uma calça de flanela com uma camisa de moletom. Eu deitei na minha cama e peguei o notebook, ainda não tinha conseguido olhar todas as fotos. Carreguei a primeira quando a minha mãe entrou no quarto.

-Posso vê as fotos? –Ela perguntou enquanto segurava os dois copos de chocolate quente.

-Antes eu quero ver os sapatos.

-Vou pegar.

Mamãe era muito viciada em comprar sapatos, os quatro novos eram tão lindos. As novas aquisições eram uma bota de cano longo preta, uma sapatilha animal print, um Oxford na cor baked e uma peep toe na cor vinho. Eles eram lindos, mas com certeza minha mãe tinha gastado um dinheirão.

-Mãe, são lindos. –Eu segurava a bota. –Eu quero essa bota para mim.

-Eu posso até lhe emprestar, mas antes eu pretendo estreá-la na viagem para Minas.

-Mais vai estar no verão.

-Eu sei, mas eu e seu pai estamos olhando umas pousadas em Ouro Preto. Queremos fugir da agitação de BH.

-Entendi.

-A senhorita deixe de me enrolar e me mostre logo essas fotos. –Ela colocou os sapatos na cadeira e deitou na cama ao meu lado.

Eu comecei a passar as fotos, em algumas eu estava com as meninas. –Vocês estavam todas lindas. Amei as fantasias da Marcelinha, da Licinha e da Vic. A Cecília não foi para a festa?

-Claro que foi, mãe, olha aqui.

-Uau. que fantasia linda dessa menina!

-Todas elas arrasaram. –Eu mostrei uma foto do Gael.

-Nossa, como ele ficou mais lindo minha filha. Eu também estava com saudades desse menino.

Na última foto além da galera de sempre estava o Vinícius abraçado com a Cecília e o Bernardo, adivinhem, abraçado comigo.

-Esses eu não conheço. Que são esses meninos lindos?

-Esse é o Vinícius e esse é o Bê.

-Hum, Bê! Ele é muito seu amigo? Além de tudo é lindo!

-Mãe!

-O que foi eu não posso admirar o garoto? Eu só falei a verdade, ele é muito lindo.

-Sei… –Quando eu pensei que tinha acabado apareceu uma foto em que eu estava com o Bê perto da piscina, logo após a nossa sessão de beijos.

-Dona Isabelle, o que você dois estavam aprontando?

-Como assim? –Minha mãe conseguia através de uma foto saber que algo tinha acontecido.

-Com quem você voltou para casa e com quem você foi para o cinema?

Agora ela mataria a charada. –Com o Bê.

-Vocês estão ficando? –Sim, ela perguntou na lata.

-Mãe! –Eu conversava sobre tudo com a minha mãe, mas não estava pronta para falar sobre o Bê. Pelo menos eu achava que não estava.

-Ficaram e você gosta dele. –Sim ela afirmou.

-Ficamos sim, mãe. Eu gosto do Bê como amigo e expliquei tudo para ele.

-Como é que é Isabelle?

-Eu falei para o Bê que só quero ser amiga dele, não quero ficar entendeu?

-Por que minha filha? Ele é tão lindo.

-Mãe o Bê não é só lindo por fora é lindo por dentro também. Além disso, torce pelo Vasco e também é fã do Manitu.

-Filha esse menino é perfeito para você.

-Perfeito para ser meu amigo.

-Por que, Isa?

-Mãe, eu perdi o meu amigo e o meu namorado. Eu não quero ficar com o Bê e futuramente perder a amizade dele também.

-Você ainda sente falta do Oscar? –Ela acariciava os meus cabelos.

-Mãe eu me lembro de tudo que o Oscar aprontou nos últimos tempos e isso faz com que eu o deteste. Mas eu me lembro de antes, de quando ele era o amigo do meu irmão mais velho e que com o tempo se tornou o meu amigo também, sabe? Eu não quero perder a amizade do Bê, até porque eu quero aproveitar a minha solteirice. Quero brincar com a Bianquinha, com os gêmeos. Não quero saber de namoro nem tão cedo.

-Você está certa minha filha, mas só toma cuidado, você pode achar um garoto maravilhoso que possa te fazer muito feliz. Não deixa passar por medo de sofrer de novo. Você me promete?

-Eu te prometo mãe. –Eu abracei. –Eu te amo muito sabia?

-Eu que amo você minha menininha.

O QUE OS LIVROS NOS ENSINAM X O QUE PRATICAMOS

– Esse livro é perfeito!

– Por quê?

– Ele nos faz entender  a complexidade do ser humano. Tipo, mesmo que você não passe por essa situação, mas agora você entende melhor as pessoas que passam e sentem isso que esse personagem sofre.

 


o que os livros nos ensinam

O poder da Literatura de fazer com que nós fiquemos emocionados é extraordinariamente incrível. Assim como a música, um bom filme, uma peça de teatro, etc. Da Arte em geral, certo? E talvez esse seja o principal motivo para consumirmos tanto a Arte. Temos a necessidade de nos emocionarmos e refletirmos sobre as problemáticas que norteiam a vida.

Quando um professor incentiva o seu aluno à leitura, justifica que, ao lermos, somos capazes de desenvolver nossa criticidade, nossa imaginação, aprendermos “n” coisas importantes para nossa vida, entre outros motivos. Quando alguém indica um livro a um colega, por exemplo, em quase totalidade das vezes, ele gostou e, de alguma forma, marcou-o por se identificar com algum fato do livrou ou não. Mas o ponto no qual quero chegar aqui é acerca do que estamos aprendendo com os livros e se de fato esse aprendizado está sendo praticado em nossas relações com o outro.

Mas, para poder trazer esse questionamento para vocês, eu tenho que me questionar primeiramente. Esses dias vi a postagem de um colega no Facebook e, de maneira automática, fiquei me questionando se aquele meu colega tinha algum problema psicológico. Não por aquele post em específico, mas por uma série de fatos anteriores que me levaram a refletir sobre isso. E eu pensei como ele era sozinho e como ele fantasiava as coisas para parecer tudo bem , etc. Só que, de maneira muito mais automática, eu quis ignorar o fato e rolar a página para outros posts que me interessassem mais.

E foi aí que “LFNLSKFJSLFJ” minha cabeça deu um sinal de que algo estava errado. Com aquele pensamento sobre o post do meu colega eu lembrei imediatamente do livro “Por Lugares Incríveis”. Um livro com o qual eu me emocionei, chorei e passei uma semana de BAD, pois é um livro maravilhoso que nos ensina a não julgar as pessoas, mas tentar descobrir o quão maravilhoso pode ser o mundo dela. Que tanto o descolado ou o largado ou o da primeira banca ou o da última banca são incrivelmente singulares. E esse era o melhor momento de usar a experiência de leitura para entender melhor o meu colega, concordam?

Por que o que tenho aprendido com os livros é tão difícil de pôr em prática?

Eu não sei responder agora, mas espero realmente conseguir em algum momento. Ou até sei, mas não quero admitir por ser triste demais.  Entretanto, o fato de esse meu questionamento vir à tona já é um passo para chegar em minha resposta, pois só questionamos aquilo que causa um estranhamento em nós mesmos.

Os livros nos têm ensinado a ser fortes, a não desistir de nossos sonhos, a ter fé, a ter coragem, a ter gentileza e a olhar para o outro como igualmente singular. Quando vamos começar a pôr em práticas as lágrimas, as emoções e as reflexões que eles nos proporcionam?

TÁ ROLANDO: ANAHÍ, “FEAR THE WALKING DEAD”, “DIÁRIO DE UMA PRINCESA”.

MÚSICA: ANAHÍ DERRUBA TODOS OS FORNINHOS COM O NOVO CLIP DE “RUMBA”

Para quem esperava desde de 2009, ano em que a cantora lançou seu último disco, não ficou nem um pouco decepcionado com a volta da nossa queridinha http://qualquercoisaviralata.com.br/wp-admin/post-new.phpmexicana.

SÉRIE/TV: ASSISTA A 3 MINUTOS DO PRIMEIRO EPISÓDIO DE “FEAR THE WALKING DEAD”
LITERATURA: AUTORA MEG CABOT FARÁ TURNÊ NO BRASIL PARA O NOVO LIVRO DA SÉRIE “O DIÁRIO DA PRINCESA”.

DIÁRIO DE UMA PRINCESA

Cachoeira, BA – 18 de outubro, 10:00
Flica Festival

Recife, PE – 19 de outubro, 17:00
Saraiva MegaStore Riomar Shopping Recife
Avenida Republica do Líbano, s/nº – Piso L2 – Luc 227 – Pina
CEP: 51110-160 – Recife – PE

São Paulo, SP – 20  de outubro, 17:00
Saraiva MegaStore Shopping Center Norte
Travessa Casalbuono, 120 – Loja 414 – Vila Guilherme
CEP: 02047-050 – São Paulo – SP

Porto Alegre, RS – 21 de outubro, 17:00
Saraiva MegaStore BarraShopping Sul
Av. Diário de Notícias, 300 – Loja 1022 – Cristal
CEP: 90810-080 – Porto Alegre – RS

Belo Horizonte, MG –  22 de outubro, 17:00
Saraiva Megastore Shopping Diamond Mall
Av. Olegario Maciel, 1600 – Lojas 16 a 21 – Nivel Bernardo Guimarães Lourdes
CEP: 30180-111 – Belo Horizonte – MG

Rio de Janeiro, RJ – 23 de outubro, 17:00
Saraiva MegaStore Shopping Rio Sul
Av. Lauro Muller, 116 – Botafogo
CEP: 22290-160 – Rio de Janeiro – RJ

[DICAS] COMO NÃO ESCREVER UM LIVRO

Sonha, escreve, apaga, edita, reedita, sonha, esquece. Sonha novamente, escreve, escreve, esquece.

            Esse trecho acima representa o pesadelo de muita gente. Eu falo daquelas pessoas que assim como eu sonham em escrever seu próprio livro. Tem gente que não se conforma em ler estória de outros. É mais divertido sonhar no seu próprio sonho, certo?

            Eu mesmo já tentei escrever quatro livros e todos nunca passaram do quarto capítulo. O que é muito triste porque logo de cara você já se apaixona por seus personagens. Enfim… Como eu não sou muito bom (ainda) para dar dicas de como escrever um bom livro vou ensina-los a como não escrever um livro.

img_como_comecar_a_escrever_um_livro_5796_orig

1º DICA: NÃO ESCREVA SOBRE ALGO QUE VOCÊ GOSTE

            Escrever sobre coisas que você gosta vai fazer sua mente viajar e imaginar muito mais, o suficiente para preencher muitas páginas por dia, pois você vai pensar na história o tempo todo. E não queremos isso, certo?

    Tente escrever sobre coisas que normalmente você acha um saco. Que você não estar nem ai. Exemplo, se você gosta de romance é bem óbvio que você deve escrever sobre política. Duvido que você saia do primeiro capítulo.

2º DICA: NÃO RESERVE TEMPO PARA ESCREVER

            Se você pretende não escrever um livro essa dica é super importante. Algumas pessoas que sonham em finalizar seu livro reservam em torno de uma ou duas horas por dia para focar na escrita do seu livro, assim, eles chegam ao tão esperado resultado: seus livros acabados e publicados antes que eles morram. Mas isso não é para nós, certo? A dica é não reservar tempo algum, pois o livro não se escreverá sozinho.

3º DICA: NÃO ESTUDE OU PESQUISE NADA PARA SEU LIVRO

            Um bom escritor procura sempre estudar e pesquisar acerca do que ele está escrevendo. Por exemplo, se no meu livro eu tenho um personagem que sofre de uma doença como câncer eu pesquisarei sobre o assunto para poder dar credibilidade para sua história. Mas isso mais uma vez não é para nós. No nosso caso nós não pesquisaremos nada, assim, nossos personagens terão uma pobreza de detalhes e nossa criatividade provavelmente também vai para o “Beleléu”. (Alguém ainda usa essa palavra “beleléu”. Hahaha! )

4º DICA: NÃO TENHA OBJETIVOS

              Não ter objetivos é uma ótima forma de não conseguir terminar um livro. Quando temos objetivos conseguimos saber que público queremos alcançar, qual mensagem queremos transmitir, qual desfecho nossa história e personagens terão etc. Ter objetivos é facilitar uma ótima e prazerosa conclusão do seu livro. Por isso eu aconselho que fujam dos objetivos, sentar e escrever de forma aleatória é o melhor. O final do seu livro será um surpresa até pra você.

5º DICA: LAMENTE-SE

               De todas as dicas esta é a melhor: lamente-se!

Lamentar é uma ótima opção para quem não quer ter sacrifícios pelos seus sonhos. Lamente porque a fulana de tal escreveu um livro e é mais nova que você. Lamente porque você não consegue sair do primeiro capítulo. Lamente porque a vida dos outros parece mais emocionante e mais perfeita que a sua, por isso eles conseguem escrever um bom livro e fazer sucesso.

            Nossa! Essa dica é demais. Lamentando fará com que você nunca chegue perto de uma história. E quem dirá a terminar um livro.

Enfim… Desejo muita boa sorte em não escrever um livro.

Beijos, abraço e sucesso!