Tag: books

20 MÚSICAS X 20 LIVROS

20-livros-x-20-musicas
Olá, Vira Latas, hoje vamos responder uma TAG? Ela foi traduzida pelos seguintes blogs: Karol Pinheiro, Manu Rocha, Tammy Baroni e Adolescência 17. E eu peguei as perguntas no blog Minha vida literária. Sem enrolação, vamos começar a responder essa TAG, que é gigante.

1. MÚSICA QUE MAIS ADORA || LIVRO QUE MAIS ADORA
Como é difícil escolher apenas uma música e um livro, mas vamos lá. A música que eu mais adoro (pelo menos é a minha queridinha de 2016) se chama Saudades do tempo, da banda Maneva. O livro é o Azul da cor do mar, da Marina Carvalho.

PRINCESA DAS ÁGUAS – PAULA PIMENTA

Olá, Vira Latas! Hoje a resenha será sobre um livro de uma escritora que eu sei que a maioria das pessoas amam. Lógico que eu estou falando da Paula Pimenta. <3 Para vocês terem noção, essa semana eu reli trechos de FMF1 no ônibus e no percurso da faculdade para casa, que normalmente dura uns vinte cinco minutos, parecia mais ter passado em cinco. É o poder da Paula Pimenta, gente. Mas vamos focar na resenha do livro de hoje.

Como vocês perceberam pelo título, viram que o livro é a Princesa das Águas. Eu comprei esse livro na Saraiva do Shopping Recife. Foi um dia totalmente mágico, após ir a Olinda, Igarassu e outra cidade que me falha a memória. Meus amigos e eu, antes de irmos ao Marco zero, fomos até a livraria Cultura. Eu segurei o livro e o amor pela capa só aumentou. Mas eu não comprei! Realizei meu sonho de ir até uma forever 21, mas não comprei nada rsrs. Porém, saí do shopping com as melhores compras do mundo. Livros e chocolate.

princesa-das-aguasAgora de fato, focando no livro, a história é tão mágica quanto a capa. De todos os livros das princesas que a Paula lançou, esse é o meu favorito. Tem rosa e roxo. *__*  O livro conta a história da Arielle Botrel, uma jovem nadadora que é o orgulho do pai quando o assunto é o esporte. Mas que ama dar um trabalhinho no quesito festas. Ela sempre dava um jeito de sair escondida. Contava sempre, ou quase sempre, com a ajuda do seu melhor amigo, o também nadador, Lino. O problema é que em uma dessas escapadas. Arielle conhece o Érico Eggenberg, um tenista suíço, que arrancará suspiros de todas as telespectadoras do mundo, que estão sintonizadas no Brasil, ou melhor nas olimpíadas do Rio de Janeiro.

É claro que em como a maioria dos livros de princesa, sempre rolará muita confusão impedindo o casal principal de ficarem finalmente juntos. Para conquistar o coração de Erico, Arielle terá que abusar dos gestos, já que não pode em hipótese alguma utilizar a sua voz para conquistar o menino. E como é de se esperar, ela precisará driblar as pessoas malvadas que não torcem pela felicidade deles. Que ainda bem que são pouquinhas.

Eu não vou falar mais sobre o livro porque apesar dele ter  367 páginas a história é bem simples. Rapidamente, o leitor descobre o que vai acontecer no final. Mas isso não tirou o brilho da Paula Pimenta. O livro é devorado rapidamente e nos deixa com uma imensa vontade de assistir o filme da Pequena Sereia.

Como sempre, a Paula abusou das redes sociais, deixando o livro bem atual. Adorei também que personagens antigos apareceram e de alguma forma contribuíram para a história. Então se vocês gostam do mundo encantado que envolve essas princesas da Disney, amam livros leves e que possuem capas maravilhosas, leiam Princesa das Águas! É sem dúvidas, um ótimo livro para desestressar. Além do mais, é Paula Pimenta. Tem coisa melhor?

VITRINE

PRINCESA DAS ÁGUAS – PAULA PIMENTA / Editora: Galera Record / Valor: R$ 22, 40 (Compre pela Amazon)

TUDO AQUILO QUE DEIXAMOS PARA TRÁS – BRUNA FERRACINI

Olá, Vira Latas! A resenha de hoje é sobre um livro que me fez chorar umas três vezes. Sério! A escrita é tão delicada e os personagens tão maravilhosos que a minha vontade era guarda-los dentro de um potinho. Vocês não devem estar entendendo nada, né? Então, hoje falarei sobre o livro Tudo Aquilo Que Deixamos Para Trás, da escritora Bruna Ferracini. Esse é mais um #AchadinhoDaAmazon, um achadinho maravilhoso, diga-se de passagem. Eu confesso que o que mais me chamou atenção no livro foi a capa, aí depois eu comecei a ler a sinopse e pronto, me apaixonei.tudo aquilo que deixamos para trás - brunca ferracibi - blog qualquer coisa vira lata

separador1E se tudo o que lhe restasse da pessoa que você mais ama fosse uma playlist com seu nome?

Para Malia, seu irmão, Oliver, sempre foi o sol que a fez girar e seguir em frente. Mas ele não está mais por perto e, no meio de tantas coisas assustadoras, essa é, talvez, a que irá matá-la.

Sua mãe tem medo até de respirar, mas ela não está errada e Malia sabe disso. É por isso que Malia guarda segredos que amaçam sufocá-la. Ela só tem uma pessoa no mundo que é capaz de entendê-la: o melhor amigo do seu irmão.

Nicolas é o único que sabe a verdadeira história, o único que não julgaria Oliver, mas ele também se foi e a deixou para trás.

Em uma noite, a garota decide fazer como seu irmão e fugir de tudo que a destrói. É no meio da madrugada, com a lua como amiga, que Malia encontra um garoto com nome de deus nórdico e filósofo inglês, um confeiteiro que adora paparicá-la, um restaurante que só funciona de madrugada e um clube do livro noturno, mas, o mais importante, Malia encontra a si mesma e, ser ela mesma, é a única coisa necessária para mudar a situação em que ela é obrigada a viver.separador2

Malia é uma menina de dezessete anos que ama ler. Mas no caso dela os livros não representam apenas um momento prazeroso como para a maioria de nós. Malia se sente em outra dimensão quando está no meio dos livros, Eles são os seus amigos, apenas eles.

A vida dela sempre foi marcada pelo medo. A pessoa que mais deveria amá-la e protege-la fazia exatamente o contrário. Mas a Malia tinha o Oliver, o seu irmão querido. O irmão que dividia o minúsculo espaço debaixo da cama com a sua irmã. O irmão que não gostava de ler, mas que amava escutar as histórias que Malia contava. O irmão que mesmo tendo uma voz desafinada cantava e encantava todos a sua volta. O irmão que sempre dizia que iria lhe proteger de tudo e de todos. Mas esse mesmo irmão não conseguiu suportar todo o peso que carregava. Esse irmão se foi, deixando Malia e a sua mãe sozinhas. Mas no mesmo dia em que ele se foi, a Malia foi junto.

Após quase um ano da morte do irmão, que para toda a sociedade tinha morrido em um acidente de carro. Malia vegeta pelos cantos da escola. Antes ela tinha o Oliver, ele sempre a protegia. Mas agora, ela é apenas a estranha. Malia tem sim uma única amiga, a Rosa, a bibliotecária mais amorosa do mundo. Ela sempre levava livros das suas filhas para Malia ler. Ela é ou não é uma pessoa fofa?-  Só emprestamos nossos livros para pessoas que realmente gostamos. Focando novamente na resenha… – Apesar de ser uma grande amiga para Malia, Rosa não sabe a verdade; como Oliver morreu.

Em um certo dia após voltar da escola, Malia ver uma cena rara. Sua mãe estava dançando ao som de uma melodia do Elvis Presley. Naquela casa era proibido dançar. Era proibido ser feliz. Mas o “pai”, se é que podemos chamar assim, de Malia não estava em casa. Sendo assim, elas poderiam “viver” por alguns minutos. Malia descobriu que a música vinha do celular do irmão. Naquela mesma noite ela teve vontade de fugir. Quando digo fugir, me refiro a viver. Malia saiu pela madrugada e a partir deste ato tudo mudou na sua vida.

Malia foi atacada por um morador de rua. Ela jurava que seria o seu fim, mas ela foi salva. Locke, um jovem de olhos verdes, apareceu no lugar certo e na hora certa. Ele ajudou Malia e foi logo a levando para conhecer Henri, o confeiteiro mais fofo do planeta.

Depois daquele encontro a vida de Malia ficou mais agitada. Ou melhor, ela ganhou uma vida. Suas madrugadas eram destinadas a ficar na companhia do Locke, do Henri, e dos amigos do clube do livro. Ela sempre precisava driblar o seu pai para conseguir sair. Se ele soubesse que ela estava fora de casa, ela estava acabada.

Alguns capítulos do livro são destinados a mostrar as cartas que Malia escrevia para Nicolas. O melhor amigo do seu irmão, que quase teve um fim parecido como de Oliver. Nas cartas ela fala o quanto tem saudades do irmão. Conta também sobre os seus medos e sobre como espera que Nicolas esteja bem.

Lembram-se do celular? Malia descobre uma playlist dedicada para ela. Todas as músicas ela escuta ao lado de Locke. E incrivelmente cada canção se encaixa perfeitamente com o momento em que ela se encontra.

Se eu pudesse continuaria falando sobre o livro… Gente! Eu chorei três vezes enquanto lia. E todas às vezes foram em cenas que ela se lembrava do irmão. Oliver escolheu um caminho que não é legal. Ele viu nas drogas uma válvula de escape. Mas eu não o culpo. Pensem comigo, o garoto tentava ser o super herói da irmã, da mãe. E quem cuidava dele??? A droga foi a “amiga”, aquela “pessoa” que fazia ele se esquecer do monstro, também chamado de pai. Que fazia ele se esquecer da “vida” que ele tinha. O problema é que um pouquinho só de droga não era suficiente. Ele queria mais. Ele PRECISAVA de mais.

Assim como Oliver fugiu de todos os problemas, Malia também quer fugir. E é com a ajuda de todos que a amam, mesmo que eles não saibam a barra que ela enfrenta em casa. Que ela vai começar a repensar e querer mudar a droga de vida que ela e sua mãe levam.

Esse livro é extremamente apaixonante, tocante. É impossível não se colocar no lugar da Malia e sofrer junto com ela. O mais triste de tudo é saber que existem várias pessoas que vivem nas mesmas situações que ela. Não deveria existir, mas existem. Esse livro também fala sobre o amor. Foi tão encantador ver, ou melhor, ler a forma que a Bruna contou a história da Malia e do Locke. Assim como Malia, Locke também precisou enfrentar seus problemas. Mas ele tentava ser o menino forte, que sempre estaria disposto a agir para proteger Malia. Ele não era um menino de promessas, ele preferia coloca-las em práticas sem prometer previamente. E eu o amei desde o primeiro parágrafo em que ele apareceu, por ele cuidar dela. Espero que o mundo esteja cheio de Lockes que protejam e deixem ser protegidos pelas Malias.

Vira Latas, esse lindo livro vocês encontram na Amazon. Apesar de que eu SÓ ACHO que alguma editora deveria publicar. Ter o livro impresso seria perfeito! Gostaria de agradecer a Bruna por ter escrito um livro tão MARAVILHOSO. Espero que milhares de pessoas possam se emocionar com a Malia.

VITRINE

TUDO AQUILO QUE DEIXAMOS PARA TRÁS – BRUNA FERRACINI / Editora: Amazon / Valor: R$ 6,99 (compre aqui)

ESPECIAL STEPHANIE PERKINS: ANNA E O BEIJO FRANCÊS, LOLA E O GAROTO DA CASA AO LADO E ISLA E O FINAL FELIZ

Olá, Vira Latas! Hoje, depois de décadas, ok exagerei, eu vou resenhar um livro, ou melhor, três livros da mesma escritora. Sendo assim, nada melhor do que fazer um especial da Stephanie Perkins. A escritora responsável por criar o livro Anna e o Beijo Francês, e consequentemente, Lola e o Garoto Da Casa Ao Lado e Isla e o Final Feliz.RESENHA ESPECIAL STEPHANIE PERKINS

Anna e o Beijo Francês

separador1“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual a verdadeira função de nenhum dos dois. Napoleão, Maria Antonieta e vários reis chamados Louis. Também não estou certa do que eles fizeram, mas acho que tem alguma coisa a ver com a Revolução Francesa, que tem algo a ver com o Dia da Bastilha. O museu de arte chama-se Louvre, tem o formato de uma pirâmide, e a Mona Lisa vive lá junto com a estátua da mulher sem braços. E tem cafés e bistrôs — ou qualquer nome que eles dão a estes — em cada esquina… Não é que eu seja ingrata, quero dizer, é Paris. A Cidade Luz! A cidade mais romântica do mundo.” Anna Oliphant não está nada entusiasmada com a ideia de se mudar para Paris, já que seu pai, um famoso escritor norte-americano, decidiu enviá-la para um colégio interno na Cidade Luz. Anna prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel e um namoro prestes a acontecer. Mas, ao chegar a Paris, Anna conhece Étienne St. Clair, um rapaz inteligente, charmoso e bonito. Só que Etiénne, além de tudo, tem uma namorada… Anna e Etiénne se aproximam e as coisas ficam mais complicadas. Será que um ano inteiro de desencontros em Paris terminará com o esperado beijo francês? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer? Stephanie Perkins escreveu um romance de estreia divertido, com personagens espirituosos que garantem dedos formigando e corações derretendo.separador2

Anna e o beijo francêsEu li esse livro em 2012, minha irmã comprou por minha causa, hehe. Eu estava louca para ler um livro voltado para a minha idade, tinha dezessete anos e, sinceramente, eu estou velha. Fiquei super fascinada com a sinopse e tinha colocado na cabeça que eu precisava comprar. Mas eu só tinha dinheiro para um livro e na livraria também tinha Era Uma Vez a Minha Primeira Vez, da Thalita Rebouças. Resultado, eu comprei o da Thalita e a minha irmã o da Anna.

Anna é uma menina “sortuda”, ela simplesmente iria estudar na França; em um colégio super disputado que não era qualquer pessoa que estudava lá. Acontece é que Anna era filha de um escritor que estava no auge do sucesso. Digamos que ele era uma espécie de Nicholas Sparks. Anna não queria estudar lá. Ela deixou em sua cidade natal, a sua melhor amiga e o seu crush, na época nem usávamos  essa palavra.

Entretanto, o que parecia ser uma furada se transformou em uma história bem agitada. Anna virou amiga do Étienne St. Clair, um americano super fofo, eu não acho, mas sou uma exceção. Anna se torna amiga dos amigos de St. Clair. Eles formavam aquele casalzinho fofo. Só tinha um único problema, o garoto tinha namorada. Ele precisava arrumar tanto a sua vida amorosa quanto os problemas familiares que ele tinha. E quem disse que Anna não passaria por problemas? Ela precisava descobrir se o seu (ex) crush ainda se lembrava dela. E se a sua amizade com a sua “melhor” amiga ainda era a mesma.

Ah! Esse livro vai fazer você querer conhecer a catedral de Notre Dame. Aquela mesmo que tem na animação de O Corcunda de Notre Dame. Além. é claro, de querer conhecer vários pontos turísticos da França.

Eu adorei esse livro! Ele é leve e fofo (já usei essa palavra várias vezes). Sabe aqueles livros que você pega e devora de uma só vez? Então esse é um bom exemplo. O livro possui uma narrativa leve, apesar de nos mostrar problemas mais sérios. Mas, até mesmo esses problemas são escritos de forma sutil pela Stephanie Perkins. Sem dúvidas, esse é um livro que fala sobre sonhos, lutar por aquilo que acreditamos. Além, é claro, nos presentear com um romance lindo que tem Paris como cenário.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado

lola e o garoto da casa ao ladoseparador1A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro.

Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.separador2

Esse livro eu também li há um tempo, em 2013. Dei de presente para a minha irmã de aniversário. Juro que não tive nem segundas intenções. Apesar de ter dado com muitos meses de antecedência. Focando na resenha… o livro conta a história da Lola, uma jovem cheia de personalidade, que adora confeccionar as suas roupas e amava usar perucas. Ela sempre foi uma menina muito leve. Só tinha alguns defeitinhos, o seu namorado era uma persona non grata. Os pais da Lola odiavam o garoto. Mas eles não estavam errados, o namorado dela não a respeitava. Ele conseguia diminuir o brilho que a Lola possuía.

Tudo ia relativamente normal na vida dela, até que as pessoas que ela menos queria vê na vida apareceram: os irmãos gêmeos Bell, Calliope e Cricket. Lola precisará lidar com a volta dos dois. Além, é claro, de resolver todos os outros problemas. Entre esses problemas está o fato de tentar ajudar a sua ex-amiga Calliope, uma famosa patinadora, e, é claro, descobrir o que ela ainda sente pelo Cricket, o garoto que ela sempre foi apaixonada, mas que não teve o amor correspondido.

Esse livro é bem amorzinho e trata de forma leve vários assuntos importantes. Lola é criada por dois pais, já que sua mãe é alcoólatra e nunca se importou com ela. Além disso, o livro nos mostra como uma pessoa de áurea tão boa pode namorar um garoto que só tem como missão na terra colocar a sua vida e a de todos que estão ao seu redor para baixo. Ah! A Anna e o St. Clair aparecem bastante nesse livro. É bom ver o caminho que eles tomaram depois de Anna e o beijo francês. Mais uma vez indico esse livro para quem quer uma leitura boa, leve e com personagens com uma personalidade ímpar.

Isla e o Final Feliz

isla e o final feliz - qualquer coisa vira lataseparador1Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito.

Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias, envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes.

Com participações de Anna, Étienne, Lola e Cricket, personagens mais do que queridos pelo público apresentados em livros anteriores da autora, Isla e o final feliz é uma história de amor delicada, apaixonante e sedutora, um desfecho que vai fazer os fãs de Stephanie Perkins suspirarem ainda mais.separador2

Finalmente chegamos até Isla e o Final Feliz. Vou confessar que dos três livros esse é o meu favorito. Isla (lê-se Aila) também estuda no mesmo colégio francês que Anna e St. Clair estudavam. Ela sempre foi apaixonada pelo Josh, o melhor amigo de St. Clair. Mas ela trocou pouquíssimas palavras com o garoto ao longo dos anos. Porém, tudo muda no último ano do colégio. Isla toma coragem e finalmente começa a conversar com Josh. Ele, que sempre foi um garoto que ama desenhar, adorou o fato de que Isla se aproximasse. Os dois sempre foram muito parecidos. Isla compartilha com ele vários dos seus segredos. Josh não fica atrás, ele confia verdadeiramente em Isla, a ponto inclusive de leva-la junto em suas viagens pela Europa. Mas, nem tudo é um conto de fadas. Isla é uma menina insegura, além de ser indecisa. Ela vai precisar fazer escolhas e é claro que Josh lhe ajudará nesse processo. Mas, Josh também precisará descobrir qual caminho certo ele precisa tomar na sua vida.

Esse livro se tornou o meu queridinho dos três pelo simples fato de Isla ser uma menina comum. Ela é tímida, não sabe ao certo o que quer para a vida. E acaba sempre tentando proteger as pessoas que ama. Já o Josh é um menino introspectivo que vê em uma folha de papel um mundo. São nos desenhos que ele descarregava a sua energia. Ele acaba sendo o tipo de garoto inteligente, mas que por algum motivo não gosta de mostrar o quanto sabe. Mas é ao lado um do outro que esses dois mudam, eles percebem que tem tanta coisa em comum, além é claro o fato de gostarem um do outro.

Eu amei esse livro e acabei postando vários snaps. Se quiserem me seguir vocês me encontram lá como Samila Bezerra. Amei todas as citações arquitetônicas que eu encontrei no livro. Amei o romance dos dois. Amei a leveza do livro. E amei rever todos os personagens dos dois livros anteriores.

Lendo esses três livros da Stephanie Perkins, eu pude perceber que ela adora escrever sobre os jovens e as suas inseguranças. Todos os personagens são bem diferentes um do outro, mas TODOS enfrentam problemas que os deixam frágeis. Em cada livro Stephanie nos mostrou como os personagens conseguiram superar seus problemas, sem perder a leveza.

Super indico esses livros para todos que gostam de livros bons, com cenários incríveis e personagens únicos. Tanto Anna e o Beijo Francês e Lola e o Garoto da Casa ao Lado foram lançados pela editora Novo Conceito, já Isla e o Final Feliz foi lançado pela editora Intrínseca. Espero que vocês tenham gostado do especial. Caso não tenham lido os livros corram e leiam, vocês não vão se arrepender.

VITRINE

ISLA E O FINAL FELIZ – Stephanie Perkins / Editora: Novo Conceito / Valor: R$ 25,50 (compre aqui)

LOLA E O GAROTA DA CACA AO LADO – Stephanie Perkins / Editora: Novo Conceito / Valor: R$ 29,86 ( compre aqui)

ANNA E O BEIJO FRANCÊS – Stephanie Perkins / Editora: Intrínseca / Valor: R$ 30,73 (compre aqui)

O OUTRO LADO DA MEMÓRIA – BEATRIZ CORTES

o outro lado da memória - Beatriz Cortes - Blog Qualquer Coisa Vira Lat

teste1“…Cansei! Não posso mais ficar sem você, entende? Desde a primeira vez que a gente se beijou não consigo parar de pensar: o que eu mais quero é ter você, poder te chamar de minha, sabe? Não como um objeto de posse, mas como alguém que eu quero para sempre comigo.” (Pag. 147)teste2

Olá, Vira Latas! Hoje é dia de mais uma resenha, precisamente, O Outro Lado da Memória, da escritora Beatriz Cortes. Eu amei o livro Aonde Quer Que Eu Vá; mas confesso que esperava um pouquinho mais de O Outro Lado da Memória. Apesar de que após terminar a leitura eu consegui entender o que a Beatriz quis passar.

O livro conta a história da Luíza Bedim, uma jovem cheia de sonhos que passou por uma grande tragédia em sua vida. Em um determinado dia na escola, ela é apresentada ao novo capitão do time de basquete. O Arthur, um menino lindo, que por incrível que pareça, aparentemente, não causou uma boa impressão na menina.

Em um certo dia, a Luíza acaba contando para as amigas que o Arthur deve ser mais um carinha convencido. O que a menina não esperava era que Arthur ouviria toda a conversa. Resultado: o garoto chamou a atenção de Luíza. Mas ambos foram repreendidos pelo zelador. Quem iria acreditar que o casalzinho, que estava praticamente colados dentro de uma salinha, apenas conversava? A diretora não quis acreditar nessa história que eles contaram. Como castigo os dois passariam a arrumar toda a escola no final das aulas.

Vocês já devem imaginar o quanto Luíza odiou ter que passar as suas tardes com o Arthur. Para piorar tudo, o seu ex-namorado voltou para a escola. Vocês já devem estar imaginando a confusão que o livro se transformou.

Não quero dar spoilers do livro. Mas como vocês já devem ter percebido, o Arthur fará de tudo para mostrar a Luíza que ele não era um menino ruim. Ele incrivelmente sempre está por perto nos momentos em que ela mais precisa de ajuda. Além disso, ele terá de grande importância na luta de Luíza contra o seu passado.

O livro é bem legal, li em menos de vinte quatro horas. Sem dúvidas a escrita da Beatriz nos prende de um jeito absurdo. O livro foca muito no poder do amor, do quanto ele é importante na nossa vida ao ponto de superarmos os nossos problemas. Mas o que me deixou um pouco frustrada foi o simples fato de como o problema foi resolvido. A estória poderia ter um desfecho mais fácil, mas sabe como é o livro: contava a estória de uma adolescente que possuía amigos adolescentes. E como sabemos, adolescentes acham que sabem de tudo. Se eles tivessem pedido a ajuda de um adulto tudo teria se resolvido mais fácil.

Senti falta também de mais páginas. Criei tanta expectativa para algumas cenas que não tiveram tantos detalhes. Apesar desses pontos que eu citei, o livro é muito bom e super indico para quem está afim de uma leitura leve, apesar de ter uma certa treta. Além, é claro, de contar com o mocinho super fofo. Queria o Arthur na minha vida. O livro foi lançado pela editora Novo século e apesar de possuir 231 páginas acabará sem que você perceba.

VITRINE

O OUTRO LADO DA MEMÓRIA – BEATRIZ CORTES / Editora: Novo Século / Valor: R$ 22,49  (Compre aqui)

OS BONS SEGREDOS – SARAH DESSEN

Olá, Vira Latas. A resenha de hoje é do livro que eu simplesmente enrolei bastante para ler. Sabe como é, eu comprei o ebook na Amazon em uma promoção e demorei alguns meses para ler. Simplesmente tinham milhares de outros na frente, mas eu aproveitei as férias e li,  amei e quero muito o livro físico. Ah, quero um conto sobre ele também. Estou muito exigente, né? Vamos a resenha de Os Bons Segredos!

os bons segredos - qualquer coisa vira lata

Eu fiquei louca para ler esse livro graças a Pam Gonçalves, amo demais os vídeos da Pam e sempre fico morrendo de vontade de ler vários livros que ela indica. Como eu disse, aproveitei uma super promoção na Amazon e comprei. O livro traz a estória da Sidney, uma menina de dezesseis anos que carrega nas costas o acidente que o seu irmão causou a um jovem que tem praticamente a sua idade. O menino ficou paraplégico, seu irmão foi preso, e na sua casa a impressão que ela tem é ser a única pessoa que se envergonha pelo acontecido.

Vendo o quanto a sua família estava gastando com o advogado para poder diminuir a pena do seu irmão, Sidney resolve estudar em uma escola pública. Ela sabe que seus pais precisariam economizar dinheiro para a sua faculdade. Na nova escola ela conhece Layla, uma jovem bem divertida que logo puxa Sidney para andar com o seu grupo de amigos. Sidney adora as novas amizades e começa a se apaixonar por Mac, o irmão de Layla. Mas ela tenta se afastar dele, já que não seria certo se apaixonar pelo irmão da melhor amiga.

Depois da mudança de escola ela percebe que a sua vida era invisível, ela mesmo se dizia ser uma garota invisível. Mas assim que começou a andar com os novos amigos ela descobriu a sua identidade e viu que a sua vida não poderia ser ofuscada pela vida do seu irmão. Ela não era ele.

A mãe da Sidney é a típica mulher americana que dedica a sua vida a ser mãe, ela organizava agendas com os mais variáveis temas. O problema dela era não perceber o quanto a filha tinha personalidade, a mãe de Sidney era obcecada pela vida do filho. Era difícil para ela admitir que o menino estava preso. O pai de Sidney simplesmente não tinha voz na estória. Muitas vezes ele via o quanto a filha sofria, mas preferia evitar uma briga, por isso não falava nada.

Esse livro foi um dos melhores livros que eu li no ano. O crescimento da Sidney foi maravilhoso! Aliás, foi bom ver o crescimento de todos. “Os Bons Segredos” é uma ótima história de redescoberta que vale a pena ser lido por todas as pessoas. O livro foi lançado pela editora Seguinte e foi escrito pela Sarah Dessen. Simplesmente fiquei muito feliz em poder ler um livro dessa escritora que é tão elogiada lá fora, mas que aqui ainda, infelizmente, não teve o destaque que merece. Mas espero que a partir de agora todos possam ler mais o trabalho dela, eu vou procurar outros livros dessa escritora para comprar.

VITRINE

OS BONS SEGREDOS – SARAH DESSEN / editora: Seguinte / Valor:  R$27,90 ( compre aqui)

MINHAS CAPAS DE LIVROS PREFERIDAS – PARTE II

Navegando pela internet, eis que encontro este maravilhoso site com este maravilhoso post (aqui) Fiquei encantada pela ideia e resolvi fazer o mesmo, afinal, quem não tem suas capas favoritas em casa? Pensando que seria muito difícil escolher só dez (e foi!), fiz uma seleção com 14 e um bônus (hahaha) para vocês, mas para não ficar um post gigante, vou dividir em 2( Primeira parte: aqui). Confesso que não li todos, mas essa não é a questão, então não me julguem, por favor. Espero que gostem e se inspirem (ah, e desculpem a qualidade da pobre câmera do meu celular).

A REVOLUÇÃO DOS BICHOSA Revolução dos Bichos – George Orwell
A primeira vez que li este livro foi emprestado de um amigo. Já li esse livro umas três vezes (detalhe: eu não repito livro), amo a história. Essa capa colorida e descontraída me fez querer ler esse livro. Adoro a fonte da capa também, ou seja, um livro amorzinho <3

O Triste Fim do Pequeno Menino Ostra e Outras Histórias – Tim Burton
Esse livro é perfeito, sem mas. Adoro não só a capa como os desenhos do Tim Burton. Achei que essa capa ficou tudo a ver com o universo dentro do livro.

On The Road – Jack Kerouac
A bíblia beat não faz a minha cabeça e nem me conquistou, foi um sacrifico terminar esse livro. Acho que eu estava desconectada com a obra na época. Mas isso não impede que eu ache a capa sensacional. A mistura dos elementos me ganha.

CLUBE DA LUTAClube da Luta – Chuck Palahniuk
Esse livro é genial demais! Adoro essa capa com o sabão e o sangue que parece saltar do livro. As letras do títulos estão em alto relevo, o que dá a sensação de que a barra de sabão é real. Capa genial também. Comprei por 14,90 na Amazon.

Garota, Interrompida – SusannaKaysen
O filme é o meu preferido, e o livro também é ótimo. Adoro o rosa gritante da capa e o preto e rosa do título na lombada. É uma capa simples, mas que me conquista pelo grito do rosa que soa falso, e o rasgo que saí dele de uma garota interrompida. Comprei por 14,90 na Saraiva.

Hitler, retrato de uma tirania – Fernando Jorge
Sou fascinada pela Segunda Guerra. Amo a foto central que parece saltar (só ela é envernizada), e o resto do livro fosco e embaçado.

HOMOSSEXUALIDADEHomossexualidade: da opressão à libertação – Hiro Okita
Esse livro não é literatura, mas não poderia ficar de fora da lista. Olha essa capa colorida, gente! Comprei em um congresso e custou 10 reais.

BÔNUS
Cem Verões – Beatriz Williams
Apesar do preto do Kindle, que foi por onde li o livro, essa capa é linda demais. Não sou de romances, mas esse aqui me conquistou, ele tem uma história linda. Só fui ler porque essa capa me tirou o fôlego.


Espero que vocês tenham gostado, e quem quiser me adicionar no Skoob (Aqui).
Ah, e comentem aqui quais são suas capas preferidas.
Até a próxima =D

MÉTRICA – COLLEEN HOOVER

Olá, Vira Latas. Pronto para mais uma resenha? Prontos para Métrica? Sim, Métrica! O livro que eu sempre ouvi falar mil maravilhas e que eu finalmente pude ler. Eu amo quando a Amazon dá de presente cupons de desconto. Faz umas semaninhas que eu ganhei um cupom e escolhi o livro Métrica. Comecei a ler e me viciei. Que livro MARAVILHOSO, que poesias incríveis!

MÉTRICA - QUALQUER COISA VIRA LATAO livro conta a estória da Layken, uma jovem de 18 anos que vê a sua vida mudar completamente. Seu pai morreu de repente. Ela, a mãe e o irmão se mudaram para outro estado. Lá ela tinha a certeza que odiaria tudo e todos. Mas ela não contava com o fato de que conheceria o Will, o seu vizinho charmoso e que lhe mostrou um mundo novo: o do slam. O garoto era simplesmente fofo, impossível não se apaixonar por ele, inclusive foi através do slam que ele encontrou uma forma de desabafar, o Will assim como Layken já tinha sofrido bastante nessa vida. O único problema dessa paixão toda era que ele simplesmente era o seu professor. Tantas pessoas no mundo para gostar e ela acabou se apaixonando por quem não deveria. Para completar a sua mãe lhe esconde segredos que deixa a garota furiosa.

A primeira vista quem nunca escutou falar desse livro e ler sem ter muitas informações acha que ele é mais um clichê, eu estava achando um clichê bom. Mas do nada, a Coolen Hoover dá uma reviravolta com a história que nos deixa chocada. Eu amei muito cada coisa que ela escreveu, apesar de ter ficado triste com algumas coisas que aconteceram. Esse livro me ensinou bastante, principalmente com as poesias que eu amei. Preciso muito ler os próximos e ver o que a Coolen aprontou. Super indico esse livro para todos que amam livros new adults. Apesar de que esse não apela. O que acrescenta pontos positivos para ele. Amei bastante esse livro! Mais uma vez digo: preciso dos próximos livros para ontem. Quem já leu, conta aqui embaixo o que vocês acharam.

QUANDO SERÁ VÁLIDA A LUTA POR UMA UTOPIA? GENÜBERMENSCH

GENÜBERMENSCH - qualquer coisa vira lataOlá, Vira Latas! Desta vez, venho aqui pra fazer meio uma propaganda, meio uma indicação.

Provavelmente a maioria dos leitores assíduos do blog não sabe, mas escrevo um livro de ficção científica (e uns contos, às vezes, mas isso não vem ao caso). Vou falar um pouco dele e dos meus objetivos com ele pra (quem sabe?) vocês lerem depois. O nome é “Genübermensch”, que significa plenamente evoluído, e se passa numa época futurista, bem no futuro mesmo, onde há uma guerra que chamam de “A Guerra”, porque há séculos não acaba de verdade, vai e depois volta várias vezes.

Ok, talvez vocês estejam meio perdidos. Vou localizar melhor tudo isso.

Em termos sociais, paz é um termo que seria melhor explicado não como o oposto da guerra, mas como um período entre duas guerras; esse é um ponto chave na história. Se sempre há a volta dos conflitos, porque lutar pelo seu cessar? Vale a pena? Ok, talvez valha, afinal é melhor viver sua vida sem bombas caindo na casa ao lado. Mas, no geral, sempre dizem que se busca isso almejando a paz duradoura, ou seja, uma ilusão, uma utopia. Faz sentido lutar, sacrificar sua vida por utopias e ilusões? Possivelmente há ainda quem diga que sim, pois assim se garante ao menos, se o indivíduo sobreviver, o poder dele gozar de seus últimos dias cansados mesmo que traumatizado por lembranças (isso se a guerra não voltar ou se iniciar outra).

Kirk Schultz é um geneticista renomado na tal Guerra que falei logo no início do post e ele acha que não, não vale a pena. Com apenas um caso como exceção. Neste caso particular e somente neste, ele diz que é válido lutar. Ele descobre ter como possibilitar esta exceção. Ele salvaria todos da Guerra, salvaria todos de si mesmo. Parece impossível, não?  Tão utópico quanto antes, na verdade, até mais. Mas não para Kirk.

Ele não é um homem qualquer. É alguém que não tem mais quase nada que o ligue a este planeta, aos seus habitantes e nem mesmo à sua vida, tudo de importante para ele foi levado em tais combates. Tudo que o motiva é sua pesquisa, de forma quase obsessiva, e, se seu objetivo é a extinção da Guerra, só descansará ao alcançá-lo.

Narrado em primeira pessoa por Kirk, a ficção se inicia numa fuga, ele está encurralado e, por mais que não seja um dos melhores lutadores das tropas alemãs, precisa sair de uma armadilha cercado de soldados asiáticos que se equiparam em inteligência e o superam em força. Salvar a própria vida ali seria mais do que salvar a si, mas salvar tudo.

Até agora tenho a primeira parte inteira e escrevo a segunda, sendo a primeira ele tentando estabelecer a tal exceção para começar seu plano propriamente dito. O clima quase sempre em todos estes capítulos é de tensão ou se faz exposições de como a Guerra ocorreu e está ocorrendo séculos a fio ou ainda de como Kirk chegou onde está, algo bastante confuso pois ele mesmo prefere não lembrar.

Enfim, até o primeiro capítulo da segunda parte postei no WattPad, totalizando no geral (considerando os prólogos e o epílogo como capítulos) 14 capítulos. Para quem se interessar ou estiver em dúvida (ou os dois, que também ocorre): o prólogo inicial tem três páginas do Word, ou seja, curto e já dá uma boa noção do que te espera mais adiante. Quaisquer dúvidas ou críticas (positivas ou negativas), podem me contatar por e-mail que respondo assim que vir.

Quanto à resposta à pergunta inicial: quando você tiver condições de tornar possível o que antes era mera utopia.

Pretendo publicar daqui a um ou dois anos e fazer um volume único ou dividir em duas partes. Não quero fazer uma trilogia (nada contra, gosto de várias, só acharia muito extenso).

Espero que leiam/gostem de Genübermensch. Disponível no WattPad (LINK)

O PLANO É O AMOR – NEIVA MERIELE

o plano é o amorCombati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé. (Pág. 18)

Olá, Vira Latas! Hoje teremos mais uma resenha de um livro nacional, que chegou do nada e que eu simplesmente adorei! Durante o mês de março, teve uma feira de livros em um shopping aqui de Maceió. E sem que eu esperasse, a minha mãe me comprou um livro. O livro é o “O plano É o Amor”, da Neiva Meriele. Quando de fato eu resolvi parar para ler o livro terminei rapidamente, ele é bem curto, mas é muito profundo.

O livro conta a estória da Giovana, uma jovem que sempre teve fé em Deus, mas não entendia o porquê de certas coisas, como o fato de sua “sogra”, a tia do seu marido, lhe odiar tanto. Olha que a dona Neli aprontava, mas a Gi sempre tentava evitar brigas, uma vez que no passado a tia de seu marido, o Ricardo, conseguiu separar os dois. Se dependesse da Gi aquilo não voltaria a acontecer.

O maior sonho da Gi era ter um filho com o Ricardo, mas aquilo parecia impossível. Além do mais, estava ficando cada vez mais insuportável conviver com os ataques de Neli. Até que a Gi entendeu que para mudar aquela situação ela precisava amar aquela senhora. Mas como amar alguém que só te faz mal? Com toda a confiança e amor que a Gi tinha por Deus, ela começa a batalha em nome do amor. Mas quem disse que seria fácil?

O livro é bem curto e confesso que senti falta de mais páginas. Queria mais detalhes, acho que isso é o que a maioria dos leitores querem. Amei as citações bíblicas que a Neiva utilizou no livro. Postei várias no meu snapchat. Amei também a forma simples que ela escolheu para falar sobre o amor de Deus, sobre o plano que ele tem para cada um de nós. As dificuldades serão muitas para alcançarmos a graça, mas não podemos desistir e sempre temos que confiar Nele.

Indico essa leitura a todos. Amei esse livro que chegou de forma inesperada na minha vida. Caso vocês já tenham lido, deixem nos comentários o que vocês acharam.  Beijo e até a próxima resenha.

A CULPA NÃO É DO PEQUENO PRÍNCIPE ( RESENHA)

Oi, Vira Latas. Como está do lado daí? Eu finalmente li o livro que trilhões de pessoas amam profundamente, mas não chegaram na primeira página do livro. Hahahaha Sim, estou falando do “O Pequeno Príncipe”. Famoso por suas frases de efeito como: “tu te tornas eternamente responsável pela aquilo que cativas” ou “o essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração”.

o pequeno príncipeE lá estava eu normalmente lendo esperando a hora das aulas começarem, daí aproximasse uma professora me questionando se eu gosto de ler e pedindo que eu contasse sobre a história. Então eu fiz uma cara de estranho (não muito diferente da minha normal) e perguntei surpreso se ela não conhecia a história. Pasmem, ela disse que não. Não sei se ela estava me trollando ou se estava falando a verdade. Daí contei que o livro narra sobre um menino que vivia em um planeta bem pequeno, tão pequeno que ao virasse para o outro lado era possível ver novamente o pôr do sol mais de uma vez no dia.Disse também que em seu planeta nasceu uma rosa, a única em seu planeta, mas ela é um pouco egocêntrica, e ao mesmo tempo em que o principezinho a ama também se cansa de todos os pedidos daquela flor, por isso vai embora. Durante sua trajetória conhece vários reis, esses que metaforicamente representam alguns comportamentos/sentimentos humanos. Até chegar na terra e encontrar uma raposa que o ensina o que é “cativar” e entre outras coisas, e esses ensinamentos faz o pequeno príncipe perceber que aquela rosa era única para ele. Ah, e quem narra toda a história é um senhor que ficou perdido no deserto após o seu avião falhar. Esse sendo o único humano que teve o prazer de conhecer aquele príncipe de um planeta tão distante.

Gente, em um dia você lê, porque é muito curto e uma leitura que prende. Agora eu entendo todas as alucinações em torno dessa história, mas me pergunto se esse livro teria o mesmo sucesso sem essas frases de efeito maravilhosas para legendar fotos de biquínis no Facebook. kkkkkkk to brincando! Sério agora, vocês já pararam pra pensar nisso?

Ah, e eu não poderia deixar de citar aqui aqueles snaps comicamente polêmicos do Padre Fábio de Melo, onde ele fala não gostar da história, pois se você é uma pessoa carente de plantão e pegajosa, com certeza você cita as frases do principezinho.

Mas vale lembrar que tornar responsável não é a mesma coisa de ter a posse. Hahaha

E cá entre nós, a culpa não é do Pequeno Príncipe, mas dos morcegos emocionais que vivem por aí.

O especial do pequeno menino não é ele aprender a cativar, mas ele aprender a ver com o coração.

TAG: REESCREVER, LER OU QUEIMAR

Quem é vivo sempre aparece, concordam? Eu sei que estou sumida, alguém reparou? Kkk juro que agora será diferente. Eu amo escrever no blog, mas apesar de não estar lendo com certa frequência, tirando os livros da faculdade, eu resolvi responder a tag que a Iza, do brincando de escritora, nos marcou. A tag se chama reescrever, ler ou queimar e foi criada pela Lauren Ann. Juro que não foi nada armado, mas eu fiquei tranquila com o resultado. A tag como vocês já devem ter imaginado, pede para que eu sorteie três livros e decida o seu destino, pelo menos de brincadeirinha. Kkk. Prontos para os livros?

  1. Rodada

20160311071705Reescreveria: A lista negra.

Eu amei esse livro! Mas acho que o final poderia ter sido diferente.

Leria novamente: Simplesmente Ana.

Preciso falar alguma coisa? Eu AMO os livros da Marina.

Queimaria: Presentes da vida.

Nada contra ao livro, mas eu precisava colocar alguém aqui.

  1. Rodada

20160311071659Reescreveria: Como eu era antes de você.

Amo esse livro, mas quem leu me entende.

Leria novamente: Belo desastre

Travis seu lindo!!!!

Queimaria: A seleção

Desculpem, mas essa não é a minha série favorita.

  1. Rodada

20160311071648Reescreveria: True

Sim! Eu também amo esse livro, mas o acho tão fininho, queria mais páginas kkk.

Leria novamente: Fazendo meu filme.

Paula Pimenta é vida.

Queimaria: Não se apega não.

Desculpa, mas não tem como comparar com True e nem com Fazendo meu filme.

  1. Rodada

20160311071643Reescreveria: Garota online.

O livro é muito bom, mas sempre tem algo a melhorar.

Leria novamente: Procura-se um marido.

Carina arrasa! Lacra!

Queimaria: Beijada por um anjo.

Acho que vocês já sabem o motivo. Kkk.

Espero que vocês tenham gostado da tag. Muito obrigada, Iza, por nos taggear. Ah! Esse mês teremos surpresas no blog, espero que vocês curtam o que está por vim.

FACEBOOKTWITTERINSTAGRAM – SNAPCHAT (jordialef)

MAR DA TRANQUILIDADE – KATJA MYLLAY

Oi, gente estão preparados para a última resenha do ano? Não que esse tenha sido o último livro que eu li, terei lido pelo menos mais um. Mas é que precisávamos fechar o mês de dezembro e são muitos livros para pouco tempo, então nada melhor do que resenhar Mar da Tranquilidade, que é simplesmente um livro MARAVILHOSO! Ficou curioso para saber do que se trata esta obra? Então continuem acompanhando a resenha.

mar de tranquilidade

Eu odeio a minha mão esquerda. Odeio olhar para ela. Odeio quando ela trava e me lembra que eu perdi minha identidade. (Página 137)

 Mar da tranquilidade conta a estória da Natya, uma jovem de 18 anos que foi fazer o último ano do colegial em uma nova escola. Isso poderia ser até normal, o problema é que ela não fala nada, tipo com ninguém, e se veste com roupas super curtas e saltos mega altos. Nessa nova escola ela ficará próxima de dois garotos, que são bastante diferentes, um é o típico galanteador, já o outro intimida todos na escola.

Durante todo o livro Natya dá pistas do que aconteceu na sua vida. Gente, foi punk! Ela está a mais de 400 dias sem falar com ninguém, mas ela abre uma exceção e fala com os dois garotos que eu citei. Ah! O galanteador é o Drew, o intimidador é o Josh. Apesar de conversarem com ela, Natya não conta a verdade para os meninos. E eles junto com a gente descobrirão o que aconteceu com a menina.

Com o tempo, meu corpo se curou o máximo que pôde. Minha mente também começou a se acertar, mas acho que os pedaços ficaram meio fora do lugar. Parecia que, quanto mais meu corpo se curava, mais a minha cabeça piorava, e não há fios e pinos suficientes para consertar o que se partiu ali. ( Página 112)

Eu confesso que demorei um pouco para engrenar com a leitura, mas quando isso aconteceu foi espetacular! Gente em certos momentos eu senti a dor que a Natya sentiu. Eu lembro da Iza, do brincando de escritora, falar que dava para sentir na pele o que a personagem passou. E não é que isso é verdade?

Essa menina carrega traumas gigantescos e é com a ajuda do Josh, mesmo que ele não saiba como, que ela consegue esquecer, um pouco, os problemas que cercam a sua vida. Falando em Josh, eu amei o romance dele e da Natya. Não tinha cenas melosas, e olha que eu as vezes sou melosa kkk. Mas a forma que eles se tratavam era tão fofa. Apesar de enfrentarem tantos problemas ao longo da vida, quando os dois estavam juntos conseguiam amenizar as dores e aproveitar aquele momento. Mas nem sempre isso era possível, muitas vezes eles precisavam tirar forças de onde não existia para ajudar um ao outro.

Quero soltá-la, escancarar a porta e não olhar para trás. Não aguento isso. Não tenho forças, não tenho coragem, não tenho ânimo para consolá-la. Eu não sou o bastante. Não sou a salvação de ninguém. Nem de mim mesmo. (Página 349)

Eu amei os personagens secundários. A mãe do Drew é maravilhosa, ela é o tipo de pessoa que consegue te aconselhar mesmo quando você não tem coragem de falar.

Se vocês gostam de um livro que traz uma temática séria, mas tem uma escrita maravilhosa e personagens bem construídos esse livro é para você. Boa leitura!