Categoria: TOUR NO CAMPUS

VAMOS FALAR SOBRE ARQUITETURA?

Olá, Vira Latas, vamos falar sobre aqueles sonhos que se tornam realidade? Acho que muitos de vocês devem ter feito o tão temido ENEM nas últimas semanas. Talvez alguns façam apenas em dezembro. Mas o que isso tem a ver com o blog, Samila? Fazer o ENEM ou qualquer outro vestibular na maioria das vezes significa que você está escolhendo aquele curso que será o seu parceiro ao longo dos anos. Isso dá muito medo, eu sei. Então, sendo assim, o que vocês acham de eu falar um pouco sobre a minha experiência com a arquitetura e urbanismo?

arquitetura e urbanismo Eu comecei a fazer arquitetura em janeiro de 2016, mas a minha turma é na teoria de agosto de 2015. Sabe como é, estudar em uma federal tem dessas, você acaba tendo que se acostumar com as greves.

Por enquanto, eu continuo amando arquitetura. Para vocês terem noção esse era o curso que eu queria fazer desde os meus doze anos. Digamos que eu já tentava desenhar plantas de casas e apartamentos. Os meus desenhos eram bizarros, mas foi a partir deles que eu descobri o meu amor pela arquitetura.

Em 2011 eu comecei a fazer o curso integrado de edificações, no Instituto Federal de Alagoas, porque eu queria estar mais perto do mundo da construção civil. Fiz apenas o ENEM duas vezes na minha vida. A primeira eu estava no terceiro ano, e estava com aquele pensamento de que se passasse conciliaria a faculdade com o curso técnico. Caso contrário, tentaria passar no outro ano (no caso eu estaria cursando o quarto ano no IFAL, que fazendo uma comparação com o ensino médio normal representa o terceiro ano) e foi o que aconteceu.

Eu já cursei dois períodos de arquitetura e percebi que ter feito o curso de edificações anteriormente me ajudou bastante. Mas isso não significa que as pessoas que não possuem o técnico não se darão bem.

No primeiro período as matérias que mais requeriam a minha atenção foram História da Arte, Arquitetura e Cidade I e Fundamentos para a análise estrutural. Eu amo história! Mas a matéria tem muitos detalhes para serem fixados. (Passeamos pelo Egito, Mesopotâmia, Grécia e Roma). Eu estava concluindo o meu estágio relacionado a edificações, então precisava me dedicar bastante à matéria nos feriadões para poder não me perder no meio do caminho. Já em fundamentos a história foi basicamente a mesma. Sabe como é você tem fichamento para entregar, projeto para desenvolver, maquetes para executar. Ou seja, no meu caso a dedicação para fundamentos ocorria apenas quando a prova se aproximava. GENTE, eu não me orgulho disso. Deveria ter focado na matéria desde o início, mas infelizmente sempre vão aparecer trabalhos mais urgentes para serem executados, e revisar matéria fica mais complicado. Ah! Só para constar, esse perrengue com as duas matérias duraram apenas algum tempo. Consegui passar sem precisar fazer reavaliação. O que faltava para mim era apenas organizar o meu tempo e eu finalmente consegui.

Já no segundo período eu não estava estagiando e não tinha nenhuma desculpa aparente para não ir bem nas matérias. Acreditem se quiser, mas uma das minhas favoritas foi Introdução a Análise Estrutural. Como eu já disse várias vezes nesse post, eu fiz edificações e lá paguei algumas matérias parecidas com introdução. Os assuntos eram bem legais e foi bastante interessante saber que precisamos ter base estrutural para não criarmos projetos sem nenhum fundamento para o engenheiro executar. Sim! Eu por enquanto não estou à louca do balanço. Se você faz arquitetura deve ter me entendido. Mas voltando para o assunto matérias, acreditam que a minha maior dificuldade foi em perspectiva? Sim! Eu acho os desenhos extremamente maravilhosos. Mas o meu maior problema foi o nervosismo.  Essa é uma matéria em que é necessário visualizar aquilo que está no papel. Então se você tem dificuldades e se o nervosismo bate, provavelmente, naquele momento, pelo menos, você não vai render, foi isso que aconteceu comigo. Gosto nem de me lembrar do perrengue. Mas se vocês amiguinhos que ainda não pagaram perspectiva querem um conselho, assistam Matrix! Eu ainda não assisti, mas o meu professor sempre dizia que esse é um ótimo filme para os estudantes de arquitetura.

Bom, Vira Latas, se alguém chegou até aqui muitíssimo obrigada! Me empolguei bastante com o texto. Mas não sei o que foi que vocês acharam. Basicamente eu quis mostrar tudo aquilo que eu, uma garota que sempre quis arquitetura e que fez curso técnico já visando na faculdade, passou nesses dois primeiros períodos. Assunto não falta para falar com vocês sobre arquitetura, mas vamos deixar para um próximo post para esse não ficar maior do que já estar.

TOUR NO CAMPUS: DESIGN DE INTERIORES

Oi, viras latas. Tudo bem com vocês? Então tá bem!

Finalmente voltamos com o Tour no Campus. E hoje entrevistamos a Franciele Aquino, 19 anos, do curso de Design de Interiores do Instituto Federal de Alagoas (IFAL). É um curso muito interessante e estávamos loucos para saber a opinião de quem está por dentro do assunto, no caso, do curso.

Ah, só para lembrar que dia 08 de janeiro de 2016 sairá as notas para quem prestou o Enem em outubro de 2015, e as inscrições para o Sisu, sistema no qual vocês usarão a nota do Enem para concorrerem a uma vaga em uma Universidade Federal, terá início no dia 11 de janeiro até o dia 14 de janeiro de 2016. Ok?

E também vocês poder ler todas as outras entrevistas acerca de alguns cursos clicando aqui

Vamos para as perguntas…

tumblr_lwytebbIYr1r6crsco1_500

 1.  Por que Design de Interiores?

Porque era a área que mais se aproximava dos cursos que gostaria de fazer.  As bases das disciplinas são semelhantes e correspondem ao direcionamento que gostaria de dar à  minha vida.

2.  O que te surpreendeu positivamente no curso?

Uma das partes mais positivas,  é ter um curso com professores altamente qualificados,  onde é possível,  de forma prática,  desenvolver projetos por meio da interdisciplinaridade.  O curso permite você ter um olhar bem diferenciado,  mudando sua percepção de mundo e também a sua sensibilidade de encarar as coisas.

3. você tem alguma decepção, tipo, algo que você esperava do curso e não correspondeu a sua expectativa?

Não,  até agora o curso tem me surpreendido positivamente.

4. você teve alguma influencia para escolher o curso (família, amigos, etc.) ou foi uma escolha pessoal?

A escolha foi pessoal.    O curso é o que mais se enquadrava nas áreas que eu pretendia seguir na minha vida profissional.

5. O mercado de trabalho é promissor?

Por ser um curso novo,  que ainda está se firmando no mercado,  gera conflitos quanto ao campo de trabalho aqui no Brasil. Todavia,  no exterior o curso é mais reconhecido que muitas áreas de atuação desenvolvidas aqui.  Há  muitas possibilidade para esse curso que está crescendo bastante.

6º Estou na dúvida em escolher esse curso. Qual a sua dica?

É um curso muito bom,  abre espaço para a escolha de muitas possibilidades.   Abrange seu lado criativo,  você desenvolve um senso crítico enorme e sai bem preparado pra o mercado de trabalho.

 

TOUR NO CAMPO: FACULDADE DE NUTRIÇÃO

Nome: Stephane
Idade: 20
Instituição: Cesmac – Centro Universitário

Nutricao

1º Por que Nutrição?

Porque é um curso que esta vinculado com a saúde, o bem estar e a longevidade.

2º O que te surpreendeu positivamente no curso?

Que a nutrição é mais que apenas saber quais são os nutrientes dos alimentos. Que ser nutricionista não é saber calorias e sim conhecer cada alimento e saber quais são os mais adequados para cada pessoa individualmente.

3º você tem alguma decepção, tipo, algo que você esperava do curso e não correspondeu a sua expectativa?

Não exatamente. A alimentação esta sempre em mudanças,em testes o que se consumia 10 anos atrás e  era saudável hoje n é mais. Então é preciso estar sempre lendo e pesquisando em fontes seguras para se atualizar.

4º você teve alguma influencia para escolher o curso (família, amigos, etc.) ou foi uma escolha pessoal?

Escolhi o curso por motivos pessoais, queria conhecer o mundo que está por trás da nutrição.

5º O mercado de trabalho é promissor?

Sim. O curso tem várias áreas na qual se pode atuar, não se limitando em apenas clínicas e hospitais, por exemplo.

6º Estou na dúvida em escolher esse curso. Qual a sua dica?

Fazer o teste vocacional é uma ferramenta viável para quem estar com dúvidas. Procurar saber o que  uma nutricionista passa em sua rotina profissional e arriscar. Falo por mim, mesmo encantada com o curso só vim me identificar na área no 3 período.

TOUR NO CAMPUS: FACULDADE DE PEDAGOGIA

Nome: Mércia Cristina
Idade: 19 anos
Instituição de ensino: Universidade Federal de Alagoas – Ufal

Pedagogia

1º Por que Pedagogia?
Escolhi Pedagogia depois de uma pequena trajetória na Universidade, pois quando fiz o Enem optei por Matemática-Licenciatura pensando em mais tarde pedir reopção para Engenharia Civil por pressão da família e de alguns professores que me influenciaram a desejar tal curso. Entretanto não consegui acompanhar o curso mesmo me dedicando aos estudo integralmente não tendo mais vida social, só pensava em estudar chegando a ponto de sonhar com as questões e falar a resposta dormindo srrsrsrsrs. Por essa situação e não aguentando mais pensei e repensei e decidi mudar de curso, e escolhi Pedagogia porque adoro ensinar e quando eu fazia Matemática-Licenciatura eu adorava as matérias pedagógicas.

2º O que te surpreendeu positivamente no curso?

Praticamente tudo me surpreendeu no curso. Pedagogia não é somente ensinar crianças a saber ler e escrever, é muito mais do que isso, existe uma diversidade de locais que podemos trabalhar como: em hospitais, empresas, postos de saúde e as escolas. Além disso, existe no curso a preocupação de formar não somente um professor, mas um ser autônomo e questionador que não se cale frente as injustiças e que faça o conhecimento chegar a todo. Outro ponto relevante é a atenção do coordenador que sempre estão presente no bloco e está atento para sanar pequenos problema e dos professores a grande maioria que se dispõe para tirar dúvidas e nos orientar fazer um excelente trabalho.

 3º você tem alguma decepção, tipo, algo que você esperava do curso e não correspondeu a sua expectativa?

Acho que é a valorização salarial que temos quando acabamos o curso, pois a rede privada quer somente pagar o salário mínimo e ponto, não valorizando todos os anos que dedicamos na Universidade.

4º você teve alguma influencia para escolher o curso (família, amigos, etc.) ou foi uma escolha pessoal?

 Não, foi uma escolha pessoal sem influência do meio em que eu vivo.

5º O mercado de trabalho é promissor?

Depende, se você tiver coragem e continuar estudando, fazer Mestrado e Doutorado, nesse caso o mercado é promissor. Mas, só com a graduação para trabalhar na rede particular é um descaso o salário e a jornada de trabalho, pois tenho colegas que até dia de sábado de manha tem que ir para reunião pedagógica fora as provas que trazemos para casa para corrigir, pois isso é um trabalho extras sem ser remunerado!

6º Estou na dúvida em escolher esse curso. Qual a sua dica?

Minha dica é para você vê se gosta de dar aula, essa é a chave, porque eu sempre gostei de ajudar e ensinava meus colegas no colégio, então eu sabia o que me fazia bem e quando estou na sala de aula e um aluno entende e faz as atividades eu me sinto realizada, com um dever cumprido. Então se vc gosta de dar aula e trabalhar em diversas áreas,sim, esse é um ótimo curso, porque você vai ter aula desde os princípios filosóficos até Matemática, ciência entre outras, e é fascinante o dinamismo do curso. Isso faz criar uma nova visão de mundo agregando não somente conhecimento e formação para o meu currículo, e sim, fornecendo uma formação humana que os debates proporciona aos estudantes desse curso.

Lembrete: Independente do curso que vc escolha se dedique o máximo para aproveitar todas as oportunidades e ser o melhor na sua área, pq é o conhecimento que vc detém que vai diferenciar você dos outros que só possui um diploma guardado!

1379505_242155572598498_1255295147_n

TOUR NO CAMPUS: FACULDADE DE JORNALISMO

Acabou o ensino médio e você não sabe o que fazer da sua vida. Duas coisas lhe preocupam: onde eu arrumo um emprego e qual curso eu escolho da universidade?

         Vamos fazer um tour?

         Cada post um universitário nos levará para conhecer o seu curso. Respondendo algumas dúvidas, falando da carreira e das decepções ou não encontradas durante a graduação.

TUOR NO CAMPUS - QUALQUER COISA VIRA LATA

Nome: Caio Silva

Idade: 27 anos

Instituição de ensino: Universidade Federal de Alagoas – UFAL

1º Por que Jornalismo?

Durante o Ensino Médio, eu pensava em fazer algo que me levasse a escrever, a criar meus próprios textos. O mundo da correria jornalística nunca me fascinou em si, mas os textos bem elaborados dos principais periódicos, sim. Assim, decidi seguir por esse caminho.

2º O que te surpreendeu positivamente no curso?

Algumas disciplinas, como Estética e Radiojornalismo. Em Estética, entendi o quanto as noções artísticas são essenciais para a qualidade do trabalho jornalístico, conceitos que uso até hoje no meu exercício profissional; no rádio, a seu turno, descobri o caminho que desejava seguir profissionalmente, tal como ocorre hoje.

3º você tem alguma decepção, tipo, algo que você esperava do curso e não correspondeu a sua expectativa?

O curso de Jornalismo do COS, pelo menos na minha época, era muito carente de estrutura física e tecnológica, o que dificultava o desempenho em certas disciplinas. Mas isso era compensado com professores, em sua maioria, competentes, dedicados ao trabalho e que ajudavam o aluno a desenvolver pesquisas úteis à sua formação. E isso era muito bom.

4º você teve alguma influencia para escolher o curso (família, amigos, etc.) ou foi uma escolha pessoal?

Escolha pessoal. Nunca me espelhei em ninguém para escolher esse curso, pois, como eu disse, não foi a profissão em si que me motivou, mas a possibilidade de trabalhar profissionalmente com produção textual.

5º O mercado de trabalho é promissor?

Não, infelizmente. As pessoas acham que jornalistas são sempre bem pagos, arrumam emprego facilmente e ganham status social. A maioria, entretanto, é mal remunerada, trabalha muitas horas por dia e vive sob forte estresse. É preciso ter muita vocação e talento para seguir nessa área. E com a não-obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão, ficou ainda mais difícil a concorrência no já apertado mercado de trabalho.

6º Estou na dúvida em escolher esse curso. Qual a sua dica?

Pesquise. Pergunte a quem já é da área. Consulte a grade curricular do curso. Se ainda assim sentir um friozinho na barriga e um desejo de fazer parte dessa “loucura”, junte-se aos outros “loucos”. A vida é curta demais para escolhas erradas na vida profissional.

10501752_792846894111961_5287332779049948909_n

TOUR NO CAMPUS: FACULDADE DE LETRAS

Acabou o ensino médio e você não sabe o que fazer da sua vida. Duas coisas lhe preocupam: onde eu arrumo um emprego e qual curso eu escolho da universidade?

         Vamos fazer um tour?

         Em cada post um universitário nos levará para conhecer o seu curso. Respondendo algumas dúvidas, falando da carreira e das decepções ou não encontradas durante a graduação.

TUOR NO CAMPUS - QUALQUER COISA VIRA LATA

Nome: Shirlya Lima

Idade: 20 anos

Instituição de ensino: Universidade Federal de Alagoas – UFAL

1º Por que Letras?

 Porque era o único curso que não envolvia cálculo e o qual eu podia ler literatura loucamente.

2º O que te surpreendeu positivamente no curso?

A existência da linguística, a qual passei a amar, e a maneira como a maioria dos professores dão aula, te ensinando a refletir e não a decorar, isso me resgatou de achar que eu era muito burra por não conseguir decorar fórmulas. A universidade me trouxe de volta.

3º você tem alguma decepção, tipo, algo que você esperava do curso e não correspondeu a sua expectativa?

 A estrutura do bloco, esperava que fosse melhor, mas a FALE (Faculdade de Letras) ainda carece de muita coisa básica.

4º você teve alguma influencia para escolher o curso (família, amigos, etc.) ou foi uma escolha pessoal?

 Eu estava indecisa entre história e letras, pois os dois cursos preenchiam os meus requisitos mínimos, mas como meu namorado tinha passado para o curso de letras um ano antes de mim (ele é mais velho), eu pude ter a certeza de que esse era o curso certo para o que eu queria.

5º O mercado de trabalho é promissor?

 Acredito que quando a gente ama o que faz, as portas se abrem, pois quando somos devidamente recompensados em todos os sentidos, nos tornamos profissionais melhores. É possível viver razoavelmente como um prof. do ensino básico se você for sozinho, mas se os seus planos é de construir família, estude muito,  conquiste seu doutorado e ensine em universidades, pois, infelizmente, ser professor não é algo valorizado em nosso país (apesar de podermos trabalhar em áreas de tradução e revisão de texto, o curso da UFAL é apenas para licenciatura).

6º Estou na dúvida em escolher esse curso. Qual a sua dica?

Se você ama ler, está disposto a refletir sobre diversas questões, quiser estudar a nossa língua e ainda gostar de escrever, Letras-português pode ser o seu curso. Minha dica é: pesquise sobre a grade do curso, converse com os graduandos, pesquise  na internet, tire suas dúvidas e se precisar, visite o local o qual você poderá passar 4 anos da sua vida.

10919050_702370993217405_4131622269596767556_n