Categoria: AMOR

É MUITO AMOR PRA POUCA CORAGEM

large

Sinceramente, não sei por que temos tanto medo quando o assunto é amor, já me peguei olhando o celular e esperando ligações ou mensagens de quem eu gosto. Já tive dias de ir verificar nas redes sociais e olhar as fotos e apenas ficar olhando sem dizer nada, mas talvez se não existisse esse bloqueio em minha mente e, se eu ao menos uma vez, fizesse e dissesse o que sinto,  me livraria dessa tortura que é viver nesse meu mundo imaginário…

Talvez esse seja nosso medo: medo de não ser tão perfeito como a história influenciada pela Disney em nossa mente. Acho incrível essa nossa capacidade de criar histórias lindas e na hora de colocar na vida real só conseguimos ver os defeitos, os problemas e os medos de tudo dar errado, então mais uma vez preferimos deixar subentendido e sofrer em silêncio.

Já cansei de ouvir pessoas repetindo frases do tipo “por que comigo tudo tem que ser complicado?” E eu me pergunto: será que não somos nós que complicamos? Complicamos tudo com essa mania de pensar se vai dar certo antes de começar, pensar se esse amor vai ser pra toda vida, o que as pessoas vão falar quando souber e tantas outras coisas que nem vale a pena pensar. Sei que temos que ouvir a razão QUASE sempre, mas pra toda regra tem sua exceção, e quando é amor nem existe esse papo de razão.

Fica tudo mais leve e descomplicado quando você se deixa cativar e viver, sem regras e medos, o que importa se você vai quebrar a cara? É esse medo que lhe bloqueia de viver algo bom, se no final não for o melhor (todo final é uma merda) vamos ter uma boa história de tentativas e erros pra guardar na memória e daqui um tempo não vai fazer diferença.

Então é preciso criar coragem para mandar mensagens ou fazer ligações, parar de só admirar fotos e ir lá curtir e comentar, se livrar dessa mania de deixar subentendido ir lá e deixar ENTENDIDO, precisamos de 3 segundos de coragem e o resto se resolve.

APAIXONA-SE X BATER A CABEÇA NA PAREDE

tumblr_mqia07fCCR1sazagyo1_500

“Pra que se apaixonar quando você pode simplesmente bater a cabeça contra a parede e ter o mesmo resultado?”

Por que se apaixonar vai muito além de se machucar, se apaixonar na minha opinião é sentir como se existissem borboletas no seu estômago, é se perder em um abraço como se ele causa-se um efeito de parar o tempo, é talvez pela primeira vez onde você expõe seus sentimentos sem medo.

E, queridos leitores, não tem como escapar dessa sensação, é um sentimento avassalador e você vai sentir algum dia, você queira ou não. Às vezes ele chega discretamente como um simples gostar da companhia do outro e outras vezes seus coração parece pular fora do peito quando você encontra aquele desconhecido. Não existe uma receita ou definição que descreva esse sentimento. Já conheci paixões de verões que foi tão intensa quanto aquela paixão de anos de namoro. O que quero dizer é que já está na hora de parar, parar com essa mania de tentar passar essa visão para o mundo de que se apaixonar é uma coisa ruim, quando na verdade, nem você acredita nessa versão, tenta assumir que tem medo, medo de se apaixonar e acabar, porque nós seres humanos temos essa obsessão de querer que tudo dure pra sempre.

Então vai lá, coragem! Vive aquela paixão que tem tudo pra dar errado ou aquela que parece ser o seu “pra sempre”, não importa como você vai definir, o que importa é viver, colecionar histórias pra contar e se, no fim das contas, você se machucar, e ter a sensação que caiu de uma escada ou bateu com a cabeça na parede, eu só lhe digo que vai passar, é tipo uma recuperação gradativa e quando menos esperar vai estar lá se apaixonando novamente.

POR QUE NOS APAIXONAMOS?

por que nos apaixonamos?

Chegamos em um momento da vida em que percebemos que realmente, como já dizia o Tom, ninguém é feliz sozinho. O ser humano é uma criatura realmente carente e imperfeita e, afim de chegar à uma totalidade, busca preencher-se com os demais.

Nessa busca, formamos diversos laços. Aqueles, que vão além do sanguíneo, os laços da alma. Fazemos amigos porque necessitamos de seu companheirismo para nos sentirmos completos. Depois, temos uma sede inegável de “mais”. A partir disso, criamos um modelo, um arquétipo perfeito de ser humano que venha a atender todas as nossas necessidades, aqueles: geralmente belos, sorridentes e acolhedores. Depois, acabamos por tropeçar em alguém que, aos nossos olhos, encaixa-se perfeitamente naquele padrão. É o que é chamado de paixão.

Não nos apaixonamos pela personalidade daquela pessoa, e sim pelo que achamos que ela é. Tanto que, muitas vezes, vemos diversos relacionamentos findando-se com o passar de poucos meses – às vezes nem isso. É o fim do ciclo da paixão. É quando percebemos que aquela pessoa, na verdade, não é a perfeição que imaginamos, mas sim, um ser falho, como nós mesmos.

Meu lado mais cético diria também que paixão é sinônimo de ilusão. Ora, meu caro, outrossim, não quero dizer que ela seja algo ruim. Frequentemente é maravilhoso poder deliciar-se com a doce ilusão do estar apaixonado.

Da mesma forma, podemos encontrar na paixão um solo fértil para a semente do amor. Quando passamos a reconhecer a humanidade naturalmente falha daquele ser que está conosco, quando enxergamos facilmente todos os defeitos que constituem aquela pessoa e fazem dela singular, é quando realmente começamos a amá-la.

O amor está quando temos todos os motivos para ir embora, e decidimos ficar. Talvez seja por isso que o amor esteja acima da razão. Nunca encontrei uma resposta que fosse capaz de abarcar tamanha complexidade. Nem Freud explica, quem dirá eu, rs. O que posso afirmar-lhe, hoje, é o seguinte: ninguém ama pelas qualidades ou por qualquer fator que se possa clarificar. Ama-se pela leveza ou desconcerto que o outro provoca, pelo olhar que se encontra sem perceber, pela doçura contida no toque, pelo desejo de manter-se por perto, do querer bem, do fazer bem. Ama-se por motivos irracionais. Ama-se simplesmente por amar.


Gente, esse texto foi enviado pela minha amiga Letícia Sobreira. Eu adorei o texto! E vocês?


FUI TRAÍDO, MANDO MATAR?

Leia ouvindo: Carrie Underwood – Before He Cheats

Oi, vocês! Tudo tranquilo? Hoje eu resolvi bater um papo sobre relacionamento, percebi que tenho falado pouco ou quase nada sobre isso aqui. O que vocês acham da novidade? E pra começar trouxe um tema super polêmico: traição.

EU FUI TRAÍDO, MANDO MATAR? COM CERTEZA! BRINCADEIRA!! RSRSRS

Você entrega sua vida a sua parceira, o seu mundo começa a girar em torno dela, você muitas vezes deixa seus planos de lado pra segui-la e o que lhe é retribuído? Um belo pá de chifres, oh beleza! E existe um motivo que leva o outro a trair? Talvez, mas nenhuma justificativa é aceitável. Desculpa, pessoas, mas se tem alguma coisa que eu odeio é traição. E digo em todos os níveis de relacionamento, seja ele amoroso ou até mesmo uma traição entre amigos.

A base de todo relacionamento e o que estrutura o amor é a confiança, é esse sentimento que te faz o diferenciar uma pessoa que você gosta de uma outra qualquer. E se isso é quebrado como manter um relacionamento depois disso? Conheço alguns casais que conseguiram superar a traição, mas o relacionamento nunca mais foi o mesmo. A menina sempre vai ter uma pulga atrás da orelha depois que o namorado resolveu brincar de médico em outro hospital, assim como o menino não vai nunca esquecer que a menina foi enfermeira de outro paciente. Vocês estão me entendendo? rsrsrsrs Mas eu também conheço alguns casais que já passaram por essa crise no relacionamento e juram na cruz que tudo voltou ao normal depois de uma boa conversar. será?

Depois de ouvir muitas histórias sobre relacionamento e sobre a traição eu cheguei a conclusão de que na maioria das vezes a traição é o resultado de uma relação desgastada. O que complica é que com o tempo as pessoas vão relaxando. E tornam aquela pessoa especial em uma qualquer na sua vida. Cadê as rosas, os bombons, os beijos calorosos, os presentinho surpresa, os “eu te amo”? Entretanto, toda via e porém, um relação desgastada não dar o direito de uma traição. Se você sente que seu relacionamento está nesse estágio e você não quer ser covarde com seu parceiro é melhor você chamar ele pro sofá e ter uma boa conversa. O segredo é ser sincero, jogar as cartas na mesa e tentar identificar o que está causando esse distanciamento entre os dois. Não adianta ficar junto se o amor acabou ou se você não quer se apegar a ninguém. É difícil, mas é necessário, percebe?

E fui traído devo perdoar? Mas é claro que sim! Você perdoa e depois manda a pessoa com passagem só dia ida pra Azkaban rsrsrsrs Perdoar é muito necessário, pois cada vez que você guarda magoa de uma pessoa quem sofre mais com tudo isso é você. Rancor é uma coisa que vai tomando conta do nosso coração até ficar não sobrar mais nada de bom. Mas é claro que isso é minha opinião, eu acredito que depois dessa quebra de confiança não há como manter um relacionamento vitalício. O jeito é respirar e partir pra outra. E agora vale aquela regrinha que eu não concordo muito, mas é o que tem pra hoje: ninguém é insubstituível.  Levanta, sacode a poeira e dar a volta por cima.

As melhores coisas são sentidas.

Olá, pessoas. Muitos já ouviram a frase “as melhores coisas não podem ser vistas, ouvidas ou tocadas, mas sentidas” e eu vou reforçar essa verdade. Hoje assisti um vídeo que me marcou muito pela delicadeza. Se Deus criou um elemento fundamental, maravilhoso e incontrolável no ser humano, esse sem dúvida é o “sentimento”.
O sentimento nos muda, capacita e nos eleva a algo bem além de nós mesmo. No amor não nos pertencemos, a nossa vida corresponderá a terra girando em torno do sol. Um amor que liberta a alma. E digo isso independente de gêneros, amor é amor.
E além de tudo, amo Libras, amo a cultura surda. Esse vídeo mostrou que a diferença é necessária, ele é somente um detalhe.