AS ESTRELAS ME PERMITEM ERRAR

as estrelas nos permitem errarHouve um tempo em que meu lugar favorito da vida era subir em cima da laje da minha casa, deitar e ficar observando as estrelas. Era como uma terapia para mim. Eu não precisava, naquele momento, de mais ninguém, pois eu desabafava e solucionava quase totalidade dos meus problemas. Se eu estava triste, chorava lá em cima. Se eu estava feliz, deitava e ficava grato a vida por todo favor imerecido que tinha recebido até aquele momento. Ou simplesmente ficava lá, parado, olhando para céu. E horas e horas se passavam. Quando eu me mudei para outra casa confesso que fiquei desnorteado. Eu simplesmente estava sentindo muito falta do “meu lugar”. Quando eu sentia vontade de chorar o máximo que eu conseguia era ficar dentro do meu quarto rodeado de paredes e um teto sem graça. Não me encontrava, não achava respostas para os meus dramas e problemas. Eu simplesmente só conseguia chorar mais e mais. Agora eu era um “dramático desnorteado”.

Gosto de olhar para as estrelas, elas fazem sentir-me pequeno. E por que não infinito? Se o universo é infinito, as estrelas devem corresponder a isso. São 100 bilhões de galáxias e 100 bilhões de estrelas para cada galáxia existente. E o que sou eu em meio a essa infinitude de astros? Sou mais um. Uma pessoa que simplesmente tenta acertar, tenta ser feliz, tenta amar. Sou mais um que procurar alcançar os sonhos que se transformam a cada dia. Que tenta ser sincero, que tenta olhar olho no olho e expressar tudo que sente. Que sente aquela “bad” do nada e fica feliz quando um amigo diz: estou aqui. Sou aquele que ama estar rodeado de amigos, mas precisa de um momento sozinho para me entender. Sou aquela pessoa que promete acordar cedo na segunda-feira para malhar, mas acorda tarde e ainda come biscoito no café da manhã.

É isso que eu gosto das estrelas. Elas me fazem pequeno, singularmente comum, me fazem um paradoxo. As estrelas me permitem errar. Elas não usam as minhas próprias palavras contra mim. Elas não julgam-me pelas minhas atitudes, pra elas pouco importa se o que faço tem coerência ou não. Elas não vão dizer: logo você fez isso? Hoje eu olhei para as estrelas e me senti seguro novamente. Muito tempo já sei passou desde do dia em que me mudei,  e o que tem me salvado, além de mim mesmo, são algumas pessoas – leia-se amigos, família..Deus –  que têm sido como estrelas na terra.

Alef Jordi
Alef Jordi

Estudante de Letras, criador do blog Qualquer Coisa Vira-lata, Potterhead assumido e um sonhador sem limites. Sonha em publicar um livro antes dos 30. E ama promover ações sociais.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.