DE FATO, A VIDA ENSINA

De fato, a vida ensina. E ela gosta de ensinar por meios e caminhos que nós nunca teríamos planejados. Talvez este seja o post que mais dê trabalho, afinal, enquanto o escrevo, tenho que retomar aquilo que de alguma maneira marcou este ano, pois este é o momento de dizer para mim que houve sim aprendizado, caso contrário sairei deste ano com as mais péssimas impressões possíveis depois de tantos tropeços. E o que seriam os tropeços se não uma maneira da vida nos fazer andar para a frente ainda mais rápido. E não é disso que gostamos? Pressa, correria, efemeridade.

Vivemos uma vida para a frente intrinsicamente ligada com um passado que nada mais tem a acrescentar ao que somos hoje. Ora choramos por quem fomos, o que fizemos e o que deixamos de fazer; a vida era boa e eu não sabia. Ora estamos em um excesso de futuro que parece nunca chegar, apesar que nem damos conta de que ele já se tornou passado, e quando menos esperamos já estamos querendo um novo futuro.

Há uns meses atrás comprei um bloquinho de anotações do Harry Potter, tipo, “eu não posso escrever qualquer besteira”, pensei assim que o comprei. E fiquei por uns dias com ele guardado na minha escrivaninha. Passou-se mais alguns dias e eu ainda nada tinha de especial para escrever nele. Até que assisti um vídeo da internet falando sobre os momentos especiais que nunca vão chegar. Quem é que nunca deixou a tabela de adesivos do caderno escolar para só usá-los em momentos especiais e um ano depois a tabela continuava quase intacta? – a não ser pelos adesivos que os “colegas” de turma surrupiavam.

Depois de refletir sobre, devo dizer que o meu bloquinho já está cheio de besteiras, mas foram besteiras vividas por mim. Eu simplesmente precisei usar um pedaço do papel e o fiz, sem muitas expectativas se aquela anotação poderia me trazer grandes lembranças ou não. Os momentos especiais acontecem agora. Agora que eu parei para escrever, agora que você de alguma maneira aprendeu algo comigo. Agora que você pode dizer um “eu te amo” para alguém, sem precisar de grandes motivos, afinal, se isso dizemos é porque muitos motivos já foram dados antes.

E para chegar perto do fim, deixo claro que esse ano foi um dos mais tortuosos da minha vida, que passei por coisas que nunca achei que enfrentaria, mas olha só para isso: eu estou bem, eu consegui, eu venci o mundo dia após dia. Nem todos foram dias de glórias, mas também nem todos foram dias de guerra. Mas eu estou bem. E se você está agora acabando de ler este pequeno texto, parabéns, você também venceu o mundo.

Dizer que ainda há sonhos a serem conquistados é o discurso mais repetitivo de tão necessário que se faz. Sonhe, lute, cresça, se reinvente, trate a vida humildemente, pratique a gentileza, observe as miudezas. Doe amor, perceba aqueles que tornamos invisíveis, abrace, sorria, chore e lave a alma. Seja capaz de ser tornar a sua melhor versão.

Alef Jordi
Alef Jordi

Estudante de Letras, criador do blog Qualquer Coisa Vira-lata, Potterhead assumido e um sonhador sem limites. Sonha em publicar um livro antes dos 30. E ama promover ações sociais.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *