DUAS DOSES DE LOUCURA, POR FAVOR.

Eu tentei seguir regras, padrões e modelos… Tentei me manter afastada de tudo que faria me aproximar da insanidade. Isso não me acalmou, isso não me manteve de pé quando minhas paredes ruíram e não me ajudou a Tomar as melhores decisões.
Quando tudo pareceu retroceder, quando tudo que estava em equilíbrio voltou a perder o controle, eu só pensava em fugir, os mais longe que desse, onde nem a culpa me alcançaria. Mas novamente a insanidade me fez reduzir a velocidade da fuga, me fez querer ficar e cometer as “melhores loucuras” por aqui mesmo. Ultrapassei limites de velocidade, bati o recorde de doses de vodkas em uma única noite, invadi locais proibidos só pelo prazer de estar ali e isso me acalmou, a adrenalina sempre me acalmou.
Lutei com toda força pra ser “o melhor de mim”, mas dessa vez o melhor que eu queria ser, não o melhor que os outros desejavam pra mim. Nos momentos de crises só busquei não pensar em desistir, na realidade, busquei nem pensar nas consequências… Liguei pra alguns amigos, namorado ou a pessoa mais próxima disposta a cruzar o tal chamado “limite”.
Diferente do que a maioria pensou, a insanidade não me permitirá desistir. E talvez eu esteja errada, mas o retrocesso da felicidade sempre foi enfrentado por mim, olho no olho, com uma bela dose de loucura.

Ingrid Omena
Ingrid Omena

Olá, uma pessoa que ama paçoca, rap e Raul Seixas. Tenho um fascínio pela saga de Harry Potter, principalmente, pelo conjuramento do patrono. Queria lhe dizer que estudo em hogwart, mas, infelizmente, minha carta não chegou ( agradeço ao Valdemort :| ), então, decidi cursar comunicação social, Jornalismo. Por hoje é tudo, pessoal.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *