CONFISSÕES DE UMA GAROTA EXCLUÍDA, MAL-AMADA E (UM POUCO) DRAMÁTICA – THALITA REBOUÇAS

CONFISSÕES DE UMA GAROTA EXCLUÍDA, MAL-AMADA E (UM POUCO) DRAMÁTICA - THALITA REBOUÇAS resenh blog qualquer coisa vira lataOlá, Vira latas, como vocês estão? Espero que a festa da virada tenha sido incrível para vocês e que 2017 seja um ano repleto de amor e boas energias. Digitando essa resenha parei para pensar que esse livro tem tudo a ver com o início do ano, ele fala sobre recomeçar. Olha que nem escolhi de propósito, fiz sorteio, mas acho que o destino queria que fosse esse. Afinal de contas, tem coisa melhor do que começar o ano lendo o livro da Thalita Rebouças? Deixando de delongas, vamos focar na resenha para esse post não ficar gigantesco.

Tetê teve uma mudança GIGANTESCA na sua vida. Ela deixou de ter um quarto só seu, uma casa com poucos moradores para morar com seus avós, seus pais e claro dividir o quarto com o biso, que não parava de roncar. Ela, consequentemente, mudou de bairro, foi morar em Copacabana, a princesinha do mar. Com a mudança do bairro foi necessário mudar de escola, afinal de contas, ficaria caro manter o transporte escolar, e seus pais precisariam urgentemente economizar gastos. Seu pai perdeu o emprego e sua mãe não tinha condições de sustentar a família e pagar a escola. Tudo isso é culpa da CRISE!

Para QUALQUER outra adolescente isso seria motivo suficiente para querer morrer! Ficar longe dos amigos seria o fim. Mas para a Tetê, não. Ela simplesmente não possuía amigos. Nenhum. Tudo bem, a Tetê não está muito confiante em começar em uma escola nova. Vocês, ou pelo menos alguém deve estar se perguntando, mas por quê o medo, se ela não possuía amigos? Tetê tinha medo que na nova escola, ela também não tivesse nenhum amigo e que o bullying continuasse.

Cogitei trocar de escola uma época, mas cheguei à conclusão de que não adiantaria nada. Adolescentes cruéis são cruéis em qualquer lugar. Cheguei a pensar em desabafar com meus pais, mas eles não entenderiam e achariam que eu estava fazendo drama. Mas não era só isso. Também não queria ocupar a vida deles com meus problemas (eles já tinham muitos). Pag. 33

Sim! A garota sofria bastante na escola, eram os apelidos de mau gosto que ela escutava TODOS OS DIAS. O pior de tudo era que aquele bullying não ocorria apenas na escola, ele estava presente na sua casa, mesmo que de forma involuntária. Ela sempre escutava dos seus pais ou dos seus avôs algo que colocava a sua autoestima para baixo, mas a Tetê não aguentava mais isso. Ela não queria sofrer todo esse horror na nova escola.

Na nova escola Tetê já estava preparada para ser excluída pelos alunos. Mas ela resolveu tentar e no primeiro dia conseguiu conversar com TRÊS pessoas, sem dúvidas o seu novo recorde.

Em pouco tempo na nova escola, Tetê descobre sentimentos completamente novos em sua vida. Ela conhece um amigo bem sincero, um amor de pessoa e que sempre diz o que ela pode fazer para melhorar: fazer as sobrancelhas ajuda bastante para manter um rosto mais harmônico. Ela conhece outro amigo que parece ter saído de um livro do início do século passado, ele usa um português completamente bonitinho, tudo isso fruto de morar com os avôs. Ah! O terceiro amigo se dependesse da Tetê não permaneceria nesse posto por muito tempo, é um jovem galã, aquele que todas as garotas se apaixonam. O carinha era surfista…

Vocês devem estar se questionando que agora tudo seriam flores na vida da Tetê, mas não se esqueçam que até as mais belas flores possuem espinhos. Pessoas más sempre irão aparecer, mas agora a Tetê não está sozinha. Ela tem amigos e junto com eles vai aprender que a vida é assim, cheia de pessoas bem intencionadas e de outras que sentem prazer em machucar os outros. Mas cabe a cada um de nós tentarmos mostrar a essas pessoas o mal que elas fazem e torcer para que elas entendam o recado e tentem mudar as suas posturas.

A verdade é que mudanças sempre me assustaram. O medo de que as coisas piorassem me impediu a vida toda de tomar atitudes que representassem qualquer tipo de risco. E com a ida para a Copacabana e a entrada num novo colégio, descobri que mudanças podem, sim, vir para o bem… Pag. 205.

Bom, Vira latas, esse livro da Thalita Rebouças deveria ser leitura obrigatória para todos nós. Assim os pais conseguiriam entender e prevenir o bullying familiar, e para os jovens que poderiam parar de praticar e pedir ajuda caso sofra com o bullying. Como sempre, a Thalita usou uma linguagem deliciosa para falar sobre um tema sério. Tenho certeza que vocês não irão se arrepender por ler esse livro. Aproveitem as férias e se joguem na leitura, Vira latas.

 

Samila Bezerra
Samila Bezerra

Estudante de Arquitetura na Universidade Federal de Alagoas, é apaixonada por livros e quer conhecer o mundo...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *