CABEÇAS DE FERRO – CAROL SABAR

cabecas-de-ferro-carol-sabar-qualquer-coisa-vira-lata

Quando finalmente cheguei perto dele, Artur se jogou em cima de mim e me abraçou.

E, para a minha total e completa surpresa começou a chorar. (Pag. 291)

Olá, Vira Latas, finalmente cá estou eu escrevendo (digitando) mais uma resenha. Desde a última que eu fiz para o blog, eu já li uns cinco livros. Mas confesso que ainda não escrevi o que eu penso sobre eles. Ontem eu comecei a ler mais um livro e terminei hoje no início da tarde. Fiquei tão, mais tão envolvida com a estória, que precisei fazer com que esse livro furasse a fila e fosse o primeiro entre os cinco a serem resenhados.

Pelo título vocês já devem ter percebido que o livro de hoje é o Cabeças de Ferro, da Carol Sabar. Inclusive, já deixei até uma mensagem no facebook da Carol falando o que eu achei desse livro. Vocês, ou alguém, deve estar perguntando o que esse livro tem de fato que me fez passa-lo na frente dos outros? O livro fala sobre: trote da faculdade, tem uma menina super gênia, um melhor amigo – que, sinceramente, não é a minha pessoa favorita da vida- e um bad boy inteligente e super lindo. Tenho ou não motivos para gostar desse livro?

Malu passou para o vestibular mais concorrido do país, em primeiro lugar no curso de engenharia da produção, da Universidade de Ponto sem Nó. Ela estava desesperada por enfrentar o temido trote. Não que ela fosse uma pessoa medrosa, mas é que o seu carrasco era ninguém menos do que o Artur Cantisani, o garoto responsável pela maior humilhação da sua vida aos onze anos de idade.

Malu já tinha aceitado o banho de gosma que ela receberia, mas por algum motivo Artur resolveu poupar a garota. Quem recebeu a gosma foi Mariana, uma menina oriental que literalmente perdeu os cabelos. Ah! A garota também sofreu um choque anafilático. E se não fosse pela ajuda das únicas pessoas que permaneceram no local do trote no caso a Malu, o Artur e o Nicolas (melhor amigo da Malu). Provavelmente a menina teria morrido.

O livro narra às aventuras da Malu e do Artur para descobrir quem foi o responsável por sabotar o trote. Eles resolvem fazer umas investigações paralelas, que ocorrem de forma escondida, uma vez que Nicolas não aprova a amizade da Malu com o Artur.

No meio dessas investigações eles ficam cada vez mais unidos. É claro que vira e mexe brigam por causa das suas indiferenças do passado. Mas as trocas de mensagens deles são as melhores da vida.

E ele:

Você é maravilhosa. Mesmo com um braço só.

E eu:

Não é a primeira vez que você disse isso para mim.

E ele:

E com certeza não será a última.

(Pag. 246)

Confesso que não fui com a cara do Nicolas. Achei o garoto meio chatinho, como alguém não ia com a cara do Artur? O bad boy mais bonzinho da literatura. Também não curti a mania que ele tinha de pegar no pé da Malu quando o quesito era roupa curta. O corpo era dela e ela vestia o que ela bem entendesse.

Falando em roupa, amei o estilo da Malu! A Carol mostrou que ser CDF não significa que você não gosta de moda. A Malu ia de um livro repleto de desafios de lógica a uma revista lotada de tendências da última estação.

Não posso ficar dando muitos spoilers sobre esse livro, porque é maravilhoso ir montando o quebra cabeça junto com os personagens. Mais uma vez Carol arrasou na escrita. Eu já tinha lido Azar O Seu, mas confesso que gostei mais de Cabeças de Ferro. Acho que estudar literalmente ao lado do bloco das engenharias influenciou na minha escolha.

Não deixem de ler os livros da Carol se vocês tiverem oportunidade. Tenho certeza que irão amar!

Samila Bezerra
Samila Bezerra

Estudante de Arquitetura na Universidade Federal de Alagoas, é apaixonada por livros e quer conhecer o mundo...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *