NÃO VOLTE PRA CASA MEU AMOR

não volte pra casa meu amorNão volte para casa agora que a saudade bateu, foi sua escolha deixá-la chegar. Fique onde está. Não venha me iludir com suas desculpas, moça. Sempre teremos a opção de partir e ficar, então aceite as consequências. Não venha me confundir agora que meu travesseiro já não tem seu cheiro, que meu guarda-roupa já não tem mais um espaço reservado para você. Continue longe de mim, pois eu já mudei de perfume, mudei o pedido que sempre fazíamos em nosso restaurante favorito. Fique muito distante, pois já tenho uma nova playlist e, provavelmente, você não saberá cantar para me acompanhar como fazíamos em nossas viagens de carro. Não volte pra casa, moça.

A resposta é sim, se você estiver se perguntando se eu mudei tanto. Eu também não acreditava que conseguiria, mas é aquele clichê: o mundo dá voltas. Se mudei por sua culpa, a resposta é sim também. Mudei para não sentir mais saudade, para não lembrar mais de nós dois. Mudei para esquecer os nossos planos, os nossos cachorros que ainda não tínhamos, mas já sabíamos os nomes. Eu mudei por sua culpa, mas não mudei por você, mudei por mim. Cansei de acordar no meio da noite por não estar acostumado com o vazio da cama, por isso mudei.

Agora que o coração desacelerou, não cogite voltar, por favor, moça. Fique onde está. Deixe-me aqui com meu  coração vagaroso e com  a serenidade no olhar de quem aprendeu a si amar. E ainda sim se você resolver voltar, não me espere, pois eu não volto logo. Estou andando por ruas dentro de mim que antes eram desconhecidas. Desejos que antes eu não senti. Estou perdido no meu mundo e não quero voltar.

Boa sorte, moça. E não volte mais.

Alef Jordi
Alef Jordi

Estudante de Letras, criador do blog Qualquer Coisa Vira-lata, Potterhead assumido e um sonhador sem limites. Sonha em publicar um livro antes dos 30. E ama promover ações sociais.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *