05 MOTIVOS PARA ASSISTIR THE 4400

Olá, olá, vira latas o/ Hoje vou escrever um post comum sobre algo incomum (clichê, mas ok). Começando agora: 5 motivos para assistir The 4400 (2003-2007)!

Espera, espera, mas o que é mesmo essa tal de The 4400? É tipo The 100? Não. Essa série  (que tem na Netflix, onde me viciei) é totalmente diferente desta e gira em torno basicamente de uma situação: o número que a intitula corresponde a quantidade de pessoas que desapareceram ao longo do último século, porém não aparentam ter uma correlação.

No primeiro episódio, um meteoro vem em direção ao nosso planeta e, por mais que se atirasse mísseis, ele chega em Seatle (sim, sempre EUA). Ao aproximar-se da terra, se vê que é uma esfera luminosa que “explode” num lago revelando em seu lugar todos os desaparecidos, desde aqueles que sumiram há meses até aqueles demais de meio século. Todos sem envelhecer nem mesmo um dia e sem lembrar de nada. Encurtando o resumo: eles são postos em quarentena e liberados por não haver leis que amparem a reclusão. Sempre observados e vistos de mil maneiras diferentes pelas pessoas comuns, alguns começam a desenvolver habilidades sobre-humanas, o que pode (ou não…) causar problemas pra a humanidade.

Agora… Vamos aos motivos, se é que isso já não os convenceu.

1-Tá acostumado com séries, filmes, livros etc pós-apocalípticos? The 4400 é pré!

Isso mesmo. Não posso falar muito, por que seria um monte de spoiler da primeira temporada, que é onde fica a maioria dos esclarecimentos, mas a série tem uma perspectiva temporal bem interessante por esse ponto.

2-Uma visão ampla sobre o bem e o mal.

Se você é uma daquelas pessoas, como eu, que gostam de apreciar os personagens em cenas de pressão psicológica, física e cobranças intensas para alcançar seus objetivos, a série te recompensa. Sério, nada é fácil pra ninguém nisso e não se pode confiar em nada; principalmente pra um  4400.

3-União e humanidade.

Esse ponto já é comum em séries/livros/filmes relativos a diferenças, mas acho essencial. Se vê bastante algo, às vezes de forma discreta, às vezes não: a humanidade por muitas vezes se esquece de seus semelhantes e é com isso que se pode vencer várias adversidades. Acho um contraste com o motivo dois. Até onde vão os limites entre o bem e o mal? E, claro, até onde vai sua humanidade?

THE 4400 QUALQURR COISA VIRA LATA4-Atuação.

Seria impossível de não falar. Embora eu não conhecesse nenhum dos atores por nome antes de assistir (embora vários eu jure que já vi antes), é inegável que eles estudaram muito bem seus papéis com toda a personalidade de seus personagens. Até mesmo Mahershalalhashbaz Ali (como fala isso, minha gente?), por mais que sempre pareça que vá cair aos prantos, casa direitinho com Richard Tyler (um soldado negro que sofreu muito racismo por ter se envolvido com uma branca nos anos 50).

5-É igual a Heroes e X-Men?

Migo, não. Pare com isso. Primeiramente, sobre X-Men, acho ótimo, gosto demais e é incomparável por ser um universo muito mais complexo e completo, mas ainda assim (até por isso, na verdade) tem nada a ver. Sobre Heroes: por muita gente conhecer Heroes e poucos The 4400, acham que, por ter pessoas com poderes especiais, The 4400 seria plágio. Mas esquecem de um detalhe: Heroes começou em 2006.

EXTRA- Pra finalizar: os colaboradores da série tem coração.

Além tudo isso e outros motivos, como reflexões sobre amadurecimento e manipulação da massa, um ponto é o mais importante pra mim. Sabe quando aquela série que você está amando decide acabar do nada? Sem final ou com um final horrível e sem lógica? Isso ocorreria com The 4400 se não fosse o pessoal que a tornava possível. Após quatro temporadas, eles não tinham mais como continuar, decidiram não nos deixar órfãos e, por ser um meio mais barato, publicaram dois livros (apenas disponíveis em inglês oficialmente e com preços caros, mas tudo bem) com a quinta e a sexta temporada. E vocês podem encontrar na internet.

Fernando Farias
Fernando Farias

Me chamo Fernando, mas prefiro que me chamem de Fer, Nando ou até de Sátiro. Tenho 18 anos (quase 19), sou taurino com uns diplomas acadêmicos e vestibulando de Medicina. Sou escritor amador de ficção científica e participo de projetos sociais voltados à leitura, voltados para comunidades carente e orfanatos. Pretedo lançar meu livro no próximo ano, mas o vestibular está dificultando…
Link da parte online do meu livro: https://www.wattpad.com/story/52579285-gen%C3%BCbermensch

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *