MAR DA TRANQUILIDADE – KATJA MYLLAY

Oi, gente estão preparados para a última resenha do ano? Não que esse tenha sido o último livro que eu li, terei lido pelo menos mais um. Mas é que precisávamos fechar o mês de dezembro e são muitos livros para pouco tempo, então nada melhor do que resenhar Mar da Tranquilidade, que é simplesmente um livro MARAVILHOSO! Ficou curioso para saber do que se trata esta obra? Então continuem acompanhando a resenha.

mar de tranquilidade

Eu odeio a minha mão esquerda. Odeio olhar para ela. Odeio quando ela trava e me lembra que eu perdi minha identidade. (Página 137)

 Mar da tranquilidade conta a estória da Natya, uma jovem de 18 anos que foi fazer o último ano do colegial em uma nova escola. Isso poderia ser até normal, o problema é que ela não fala nada, tipo com ninguém, e se veste com roupas super curtas e saltos mega altos. Nessa nova escola ela ficará próxima de dois garotos, que são bastante diferentes, um é o típico galanteador, já o outro intimida todos na escola.

Durante todo o livro Natya dá pistas do que aconteceu na sua vida. Gente, foi punk! Ela está a mais de 400 dias sem falar com ninguém, mas ela abre uma exceção e fala com os dois garotos que eu citei. Ah! O galanteador é o Drew, o intimidador é o Josh. Apesar de conversarem com ela, Natya não conta a verdade para os meninos. E eles junto com a gente descobrirão o que aconteceu com a menina.

Com o tempo, meu corpo se curou o máximo que pôde. Minha mente também começou a se acertar, mas acho que os pedaços ficaram meio fora do lugar. Parecia que, quanto mais meu corpo se curava, mais a minha cabeça piorava, e não há fios e pinos suficientes para consertar o que se partiu ali. ( Página 112)

Eu confesso que demorei um pouco para engrenar com a leitura, mas quando isso aconteceu foi espetacular! Gente em certos momentos eu senti a dor que a Natya sentiu. Eu lembro da Iza, do brincando de escritora, falar que dava para sentir na pele o que a personagem passou. E não é que isso é verdade?

Essa menina carrega traumas gigantescos e é com a ajuda do Josh, mesmo que ele não saiba como, que ela consegue esquecer, um pouco, os problemas que cercam a sua vida. Falando em Josh, eu amei o romance dele e da Natya. Não tinha cenas melosas, e olha que eu as vezes sou melosa kkk. Mas a forma que eles se tratavam era tão fofa. Apesar de enfrentarem tantos problemas ao longo da vida, quando os dois estavam juntos conseguiam amenizar as dores e aproveitar aquele momento. Mas nem sempre isso era possível, muitas vezes eles precisavam tirar forças de onde não existia para ajudar um ao outro.

Quero soltá-la, escancarar a porta e não olhar para trás. Não aguento isso. Não tenho forças, não tenho coragem, não tenho ânimo para consolá-la. Eu não sou o bastante. Não sou a salvação de ninguém. Nem de mim mesmo. (Página 349)

Eu amei os personagens secundários. A mãe do Drew é maravilhosa, ela é o tipo de pessoa que consegue te aconselhar mesmo quando você não tem coragem de falar.

Se vocês gostam de um livro que traz uma temática séria, mas tem uma escrita maravilhosa e personagens bem construídos esse livro é para você. Boa leitura!

Samila Bezerra
Samila Bezerra

Estudante de Arquitetura na Universidade Federal de Alagoas, é apaixonada por livros e quer conhecer o mundo...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *