MAGNUNS CHASE E OS DEUSES DE ASGARD – RICK RIORDAN

Oi, gente! Estavam com saudades das resenhas aqui do blog? Se não me falha a memória estamos há duas semanas sem postar resenha, mas a grande culpada disso tudo foi a Bienal de Alagoas que trouxe várias pessoas maravilhosas, e nós do Qualquer coisa vira lata fizemos questão de dividir todos os momentos em que estávamos lá com vocês. Deixando esse assunto de lado, vamos focar na resenha, e chegou a hora de falar sobre o livro do tio Rick. 😀

Acho que a maioria de vocês devem ter ouvido falar sobre Magnus Chase, o livro do Rick Hiordan que fala sobre mitologia nórdica. Quando eu descobri que ele lançaria esse livro fiquei louca para ler. Afinal de contas eu tinha acabado de ler toda a série dos Heróis do Olimpo e tinha amado. Assim que esse saiu eu comprei, mas confesso que enrolei bastante na leitura, tipo, mais de duas semanas. Mas eu não posso negar o livro é bem legal, e se você quer saber o que eu achei da estória é só continuar lendo esta resenha.

magnus

Magnus Chase conta a estória de Magnus, um menino que mora nas ruas desde que a sua mãe morreu. No dia do seu aniversário de 16 anos ele descobre que seus tios estão lhe procurando. Ah! Ele é primo da Annabeth. Magnus só tinha uma certeza na vida: ele precisava ficar longe do tio Randolph, esse foi um dos últimos pedidos que a sua mãe fez antes de morrer. O menino até que tenta, mas o tio o encontra e várias coisas acontecem no meio do caminho, inclusive o Magnus morre.

Tive um vislumbre da aparição enevoada: a garota no cavalo galopava em minha direção, a mão esticada.

SPLASH!, bati na água.

Então morri. Fim. (Página 49)

Ei! Isso não é spoiler! O garoto morre nas primeiras páginas e vai parar em Valhala (o paraíso para os guerreiros a serviço de Odin). Lá Magnus descobre que é filho de Frey, o deus da primavera. A chegada de Magnus em Valhala não é vista com bons olhos pelos conselheiros do local. Para completar, Magnus se vê metido em uma profecia que envolve a espada que pertencia ao seu pai e os nove mundos. E se o Magnus, junto com os seus amigos, não fizerem algo para conter esta profecia, o Ragnarok , que é o dia do juízo final, ocorrerá mais cedo.

Eu realmente gostei do livro, adorei conhecer um pouco a mitologia nórdica. Mas o que eu senti falta no livro foi um pouco mais de ação. Vai ver eu fiquei muito mal acostumada com as aventuras dos Heróis do Olimpo. Mas fora isso o livro é bem legal. Como sempre, o tio Rick nos ensina de forma bem descontraída uma nova cultura e vários valores. Ah! Eu não poderia me esquecer do humor que ele sempre consegue colocar nos livros. Sinceramente, os livros do tio Rick são uma ótima forma de aprender mitologias.

– Uma vez me disseram que a bravura de um herói não é algo planejado, mas sim uma verdadeira reação heroica a uma crise. Tem que vir do coração, sem qualquer pensamento na recompensa. (Página 380)

Eu preciso desesperadamente da continuação deste livro. Sabe quando acaba no melhor da estória? Esse acabou assim. Demorou a engrenar, mas quando engrenou foi maravilhoso. Espero que vocês tenham gostado da resenha e se esse é o seu estilo, leia.

Samila Bezerra
Samila Bezerra

Estudante de Arquitetura na Universidade Federal de Alagoas, é apaixonada por livros e quer conhecer o mundo...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *