[RESENHA] TRUE de ERIN McCARTHY

Uma história sobre as possibilidades que se abrem para aqueles que estão dispostos a se entregar de corpo e alma

[SINOPSE]

Quando as colegas de quarto de Rory descobrem que a tímida e estudiosa garota nunca passou uma noite com um CAPA-Truehomem, decidem que vão ajudá-la a perder a virgindade contratando o confiante e tatuado Tyler para fazer o serviço, porém sem o conhecimento dela. Tyler sabe que não é bom o bastante para Rory. Ela é brilhante, enquanto ele está lutando para se formar na faculdade e conseguir um emprego, para, então, poder tirar seus irmãos mais novos da mãe drogada. Mas ele acaba aceitando a proposta, pelo menos como uma oportunidade de conhecer Rory melhor. Há algo nela que o intriga e o faz querer ficar por perto — mesmo sabendo que não deveria.

Divididos entre o bom senso e o desejo, os dois se veem envolvidos em uma relação apaixonada. Mas, quando a família desajustada de Tyler ameaça destruir seu futuro — assim como o dela —, Rory precisa decidir se vai cortar os laços com o perigoso mundo do namorado ou se vai seguir seu coração, não importa o preço a pagar.

[INFORMAÇÕES]

Título Original: True

Gênero: New Adult ( Jovem adulto)

Páginas: 266

Editora: Verus Editora

Valor: R$ 20,30  *Até o momento da publicação deste post

[RESENHA]

Quando eu vi na internet o livro True fiquei bastante interessada pela estória. Mesmo tentando economizar dinheiro e tendo uma lista com mais de DEZ LIVROS para comprar nos próximos meses, True acabou furando a fila. Mas o que eu poderia fazer? É um NEW ADULT!!! E eu simplesmente AMO esse gênero.

O livro conta a estória de Rory, uma jovem tímida e estudiosa que sem querer acabou revelando para as suas amigas que era virgem. Não que isso seja um problema que ela carregue. Simplesmente Rory não achou um garoto que ela gostasse de fato. A garota só não esperava que as suas duas melhores amigas iriam pagar um cara, o escolhido foi o bad boy Tyler, para tirar a sua virgindade.

OK, vocês devem estar se perguntando o que de especial tem esse livro, já que existem vários que falam a mesma coisa e tem os mesmo mi mi mi. Como eu já disse, é um NEW ADULT, ou seja, a estória se passa com pessoas que tem basicamente a minha idade. Mas, além disso, o livro não foca somente no tema virgindade, e sim em problemas que diversas famílias convivem como as drogas.

IMG-20150311-WA0007

O livro é tão envolvente que em certos momentos me vi rindo com as piadas que eles contavam, em outros, sofria com os problemas que os personagens estavam passando. Além disso, a estória nos faz refletir que não devemos julgar as pessoas. Cada personagem apesar de se mostrar de um jeito, na maioria das vezes precisava de um colo, e ver o quanto eles eram importantes.

Quando entramos no mercado, ao sentir minha mão fria e pequena envolta na dele, grande e áspera, pensei, maravilhada, que podemos encontrar consolo em pessoas e lugares os mais inesperados, quando a gente nem sabia que precisava disso. (Página 111)

Não poderia deixar de citar as amigas da Rory: a Kylie, Jessica e a Robin, que ganharão um livro, cada personagem, para contar suas estórias. Apesar das diferenças que existiam entre elas em relação a Rory, o quarteto era incrível e realmente elas se preocupavam com a amiga.

Kilye podia ser irmã gêmea da Jessica. As duas eram altas, louras, bronzeadas e definidas. Estavam fazendo faculdade de educação e provavelmente iam acabar como organizadoras de casamentos e esposas de caras que jogam golfe, enquanto eu queria estudar medicina para ser médica legista. Eu ficava mais a vontade com os mortos que com os vivos. Mas, por algum motivo, Kylie e Jessica gostavam de mim. E eu gostava delas. (Página 15)

Tyler foi o personagem bad boy que mais me surpreendeu. Eu adorei ver o cara tatuado que não largava o cigarro e quando estava nervoso mostrava ser uma pessoa incrível que possuía um grande coração.

Eu sorri. Não consegui evitar. Havia algo muito charmoso nele, eu precisava admitir. Era como se ele soubesse exatamente quem era e não tivesse medo de se mostrar para ninguém. E, apesar de ele ser o bad boy que fumava, tinha tatuagens e não hesitava na hora de socar a cara de alguém, também gostava de ler. Eu admirava isso. (Página 42)

Rory saiu da mesmice das mocinhas dos new adults, mostrou se bastante segura e determinada.

A versão brasileira, que por sinal manteve o título original, é linda! Os tons de roxo com o título pink combinaram bastante. O livro foi lançado pela editora Verus e tem 260 páginas. Ah! É claro que ganhou cinco estrelinhas.

Samila Bezerra
Samila Bezerra

Estudante de Arquitetura na Universidade Federal de Alagoas, é apaixonada por livros e quer conhecer o mundo...

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *